Category Archives: Economia

Multinacional Pepsico e mais duas empresas anunciam investimentos em Alagoas
   17 de novembro de 2017   │     13:12  │  0

O governador Renan Filho e o secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, assinam, às 16h desta sexta-feira, 17, no Palácio dos Palmares, os decretos de concessão de incentivos fiscais para três empresas que chegam com novos investimentos em Alagoas.

Juntos, os três empreendimentos prometem gerar 272 novos empregos, com investimentos adicionais de R$ 7 milhões.

Segundo a Sedetur, os incentivos fiscais do Prodesin serão concedidos para a instalação da indústria New Plast Indústria e Comércio de Embalagens. A nova indústria vai gerar 40 novos empregos, com investimentos na ordem de R$ 2,5 milhões.

Os outros decretos beneficiam, com incentivos fiscais e locacionais, projetos de duas empresas já instaladas em Alagoas. Uma delas é a RM Oliveira (leia-se Tintas Miracor), empresa alagoana especializada na fabricação e comercialização de tintas, texturas e massas que vai ampliar a produção com investimentos da ordem de R$ 3,5 milhões e vai gerar 72 empregos.

Além da concessão de novos benefícios, será assinado, também, o decreto que autoriza a renovação dos benefícios para a Multinacional Pepsico, instalada em União dos Palmares. A empresa fará novos investimentos da ordem de R$ 1 milhão e vai gerar 150 empregos.

O vice-prsidente de relações governamentais da Pepsico-CO no Brasil, Fernando Calia, participa, ao lado de outros empresários, do ato de assinatura dos decretos no Palácio dos Palmares.

“A permanência da Pepsico e a chegada das novas indústrias em Alagoas garantem, juntas, a geração de mais de 205 empregos diretos, impactando diretamente no cenário econômico e na melhoria da qualidade de vida dos alagoanos. A renovação e a concessão de novos incentivos demonstram o trabalho do Governo do Estado em prol das indústrias já instaladas, além da atração de novos empreendimentos. Isso garante a competitividade na economia alagoana”, aponta o secretário Rafael Brito.

Núcleo industrial em Maceió ganha 4 novas empresas e vai gerar mais 250 empregos
   15 de novembro de 2017   │     17:26  │  0

A informação foi antecipada, nessa terça-feira, 14, no Palácio dos Palmares. O governador Renan Filho e o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, se reuniram com empresários do Núcleo Industrial Bernardo Oiticica (NIBO), localizado na Cidade Universitária, parte alta de Maceió.

Durante o encontro o governador se comprometeu em fazer melhorias na infraestrutura do Núcleo, que tem atualmente 10 empresas em funcionamento e gera, hoje 523 empregos diretos. A partir dos investimentos e incentivos do Estado, o NIBO se prepara para ampliar para 874 o número de empregos diretos, com a inauguração, nos próximos meses, de mais quatro empreendimentos.

A pavimentação da rua de acesso ao núcleo, que tem dificultado o escoamento da produção, foi a principal demanda apresentada na reunião com o governador. Ficou definido no encontro que a obra será iniciada em janeiro próximo.

Versão oficial

Veja texto da Agência Alagoas sobre a reunião:

Renan Filho garante apoio do Estado para melhorias em núcleo industrial

O governador Renan Filho garantiu apoio o do Estado para implantação de melhorias estruturais no Núcleo Industrial Bernardo Oiticica (NIBO), localizado no bairro da Cidade Universitária, parte alta de Maceió.

Nesta terça-feira (14), em reunião com o grupo de empresários que atuam no núcleo, Renan Filho, o secretário de Estado do Turismo e Desenvolvimento Econômico, Rafael Brito, e o vereador por Maceió, Chico Filho, ouviram as demandas e debateram alternativas para o escoamento da produção e a ampliação dos empreendimentos instalados no NIBO.

Com 10 empresas em funcionamento, o NIBO gera hoje 523 empregos diretos e se prepara para ampliar esse número para 874 com a inauguração, nos próximos meses, de mais quatro empreendimentos. Na reunião com o governador, a principal demanda apresentada diz respeito à pavimentação da rua de acesso ao núcleo, que tem dificultado o escoamento da produção.

“No contexto atual, a economia só cresce com investimento. O Governo do Estado tem criado as condições para que esses investimentos aconteçam por parte da iniciativa privada e, da sua parte, tem buscado investir no aumento da competitividade das empresas alagoanas. Se existe alguém que vai defender mais a competitividade das empresas de Alagoas, essa pessoa sou eu”, afirmou Renan Filho.

“Vamos atender a essa demanda do NIBO, que agora será incluída entre as prioridades do Governo. A Secretaria do Turismo e Desenvolvimento Econômico estará à disposição dos empresários, reportando os prazos e construindo um cronograma para, até o início do ano que vem, estarmos com as obras encaminhadas”, disse o governador.

De acordo com o presidente do NIBO, Junior Pinheiro, o grupo de empresários se comprometeu a atualizar o projeto de pavimentação que, com o apoio do Governo do Estado, deverá ter sua ordem de serviço assinada até o mês de janeiro de 2018.

“Vamos bancar o custo da atualização do projeto e entregar na próxima semana ao secretário Rafael Brito. A reunião foi surpreendente. Não imaginávamos que nosso pleito seria tão bem recebido, e colocado como prioridade de um Governo que está tocando tantas obras no Estado. O setor produtivo está querendo expandir e cumprir nossa missão, que é gerar emprego e renda. Com essa estrutura, vamos poder ter o mínimo de condições para desenvolver nossas atividades. Com a ordem de serviço assinada até janeiro, em 2018 estaremos com toda essa parte do Núcleo Industrial completamente estruturada”, disse o empresário.

Leia aqui, na íntegra:

http://agenciaalagoas.al.gov.br/noticia/item/21379-renan-filho-garante-apoio-do-estado-para-melhorias-em-nucleo-industrial

Concorrente do Uber promete mesmo serviço, sem taxa de cancelamento
   11 de novembro de 2017   │     16:31  │  0

O deputado estadual Ronaldo Medeiros (PMDB) está ajudando a divulgar um novo serviço de transporte de passageiros que acaba de desembarcar em Maceió. Trata-se do Driver GO, aplicativo que promete os mesmos serviços do Uber, pelo mesmo preço, mas com algumas diferenças que podem atrair tanto o motorista quanto o passageiro.

O Driver Go não cobra taxas do passageiro em caso de cancelamento. Neste aplicativo, o motorista paga taxa mensal de R$ 200, enquanto no Uber, a taxa é de 25% do valor bruto faturado.

De acordo com Medeiros, a divulgação da nova opção pode ajudar tanto passageiros quanto motoristas: “é uma alternativa a mais para quem precisa trabalhar e também para que precisa se locomover em Maceió”, aponta.

Veta texto enviado pela assessoria:

Concorrente do UBER será lançado em Maceió neste sábado e promete melhorias para motoristas e usuários

O mercado de transporte por aplicativos de mobilidade urbana está crescendo e já trás à sociedade alagoana mais uma opção para este tipo de serviço. Será lançado neste sábado (11) em Maceió o Driver Go, aplicativo que promete ofertar melhores serviços, tanto para motoristas quanto usuários dessa ferramenta de locomoção disponível pela internet.

O concorrente do Uber chega à capital alagoana oferencendo os mesmo serviços, mas com melhorias bastante significativas, como a não cobrança por taxa de cancelamento e a tabela dinâmica.

Seis ex-motoristas do Uber foram os empreendedores responsáveis por essa nova ferramenta de transporte por aplicativo.

“As tarifas do Driver Go serão as mesmas do Uber: R$ 2,50, a inicial (equivalente à bandeirada do táxi), mais R$ 1,17 por quilômetro rodado e R$ 0,16 por minuto de deslocamento. O valor mínimo da corrida também é de R$ 6. A diferença, no entanto, é que o usuário não terá que pagar nenhuma taxa se desistir do trajeto antes de embarcar”, explica Liemerson Jorge, diretor de expansão do Driver Go.

Outro relevante benefício é específico para os motoristas, que não terão de pagar a taxa de 25% por cada corrida. “Os três primeiros meses será cobrado um valor de adaptação de R$ 50,00. Em seguida, o motorista pagará R$ 200,00 por mês e só”, revela.
No quesito segurança, o novo app promete fazer uma checagem de antecedentes criminais de todos os motoristas que quiserem se cadastrar. Já na operação, eles poderão ver a foto e dados de algum documento oficial do passageiro que solicitou a corrida, itens cadastrados previamente pelo usuário que baixar o app. Quem solicitar o serviço poderá ter acesso não só à foto do condutor e à placa do carro, mas também à imagem do veículo.

Para o deputado estadual Ronaldo Medeiros (PMDB), defensor dos motoristas por app no parlamento alagoano, a nova ferramenta é mais uma opção para a sociedade.

Alagoas vai à Justiça contra “calote” de R$ 2 bilhões da União
   8 de novembro de 2017   │     15:30  │  0

É simples assim. A União privatizou a Ceal, hoje Eletrobras, e pagou só metade do valor da empresa.

O “calote” foi comprovado por diferentes documentos, estudos e pareceres. Ainda assim, os governos do estado e federal não chegaram a um acordo para o pagamento da dívida. Sem outra opção, Renan Filho decidiu desistiu de tentar cobrar a União pela via administrativa.

O secretário da Fazenda revela foram tentados todos os caminhos em Brasília: “passamos por diversos órgãos e, embora a União reconheça a dívida, não apontou um caminho para sua quitação”, aponta. Sem alternativa, adianta George Santoro, o estado vai entrar com a cobrança judicial: “já estamos reunindo toda a documentação necessária – ‘e é muita coisa’ – e em breve o Estado dará entrada no processo”, aponta.

Por uma questão de estratégia judicial, Santoro não revela o valor que será cobrado à União, nem se o Estado aceitará alguma “compensação”. Ele assegura, no entanto que todo o processo será muito bem fundamentado.

Quanto ao valor, anote, dependendo da fórmula de cálculo, poderá chegar a R$ 2 bilhões. É esse dinheiro que o Estado vai cobrar da União na Justiça. Lembrando que cobrar é uma coisa, receber é outra.

Alguém entende?

George Santoro relata que descobrir a dívida não foi fácil. Apesar do valor, “era algo esquecido”, resume o secretário da Fazenda. “Conseguimos fazer o levantamento de todas as informações, recuperando dados que estavam esquecidos em algumas gavetas. O que não entendemos é porque no passado os outros governos nunca cobraram essa dívida”, enfatiza.

Preço do açúcar despenca, preocupa fornecedores e agrava crise das usinas em AL
     │     14:37  │  0

Não há, por enquanto, luz no final do túnel para o setor sucroalcooleiro de Alagoas. As usinas iniciaram a moagem da safra 2017/2018, em setembro passado, ainda no rastro da crise. Falta de crédito e a maior seca da história reduziram a produção de cana-de-açúcar do estado à metade.

Para piorar, os preços do açúcar estão em baixa no mercado externo, afetando também o mercado interno.

Em média, os preços do açúcar recuaram 30% este ano na comparação com igual período do ano anterior (veja tabelas) tanto em Real quanto em Dólar.

Um saco de açúcar cristal que era comercializado, no ano passado, por R$ 98 em média, foi comercializado em Alagoas na última semana por R$ 62. O blog traz dados dos preços praticados esta semana e, a partir de informações do Cepea, também traz um comparativo de preços desta safra com a anterior.

A queda nos preços do açúcar também afeta o valor da matéria-prima e os fornecedores de cana também estão recebendo menos pelo produto entregue nas usinas.

“Hoje não conseguimos sequer pagar os custos de produção”, alerta o presidente da Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas, Edgar Filho.

Segundo cálculos do setor técnico da Asplana, os custos de produção aumentaram mais de 10% no período, levando em conta salários e insumos. “Uma formulação de adubo que custava R$ 750 por tonelada na safra passada, hoje custa cerca de R$ 870”, explica Edgar Filho.

Existe, sim, a expectativa de recuperação de preços puxada pelo mercado internacional, mas nada no curto prazo. “A tendência é de melhora no cenário mundial. No entanto, estamos em plena safra e a baixa remuneração do produto afeta diretamente as nossas usinas e os fornecedores, agravando ainda mais a crise no setor”, aponta Edgar.

Para o presidente da Asplana, a crise no setor cobra um posicionamento mais efetivo das lderanças políticas de Alagoas e do Nordeste: “o governo de Alagoas, a bancada federal, assim como as bancadas dos outros estados produtores precisam encontrar caminhos para evitar o agravamento da crise, que prejudica os fornecedores mas que também afeta os empregos e a economia dos municípios da região canavieira”, aponta o presidente da Asplana.

Queda de safra

Em nova estimativa divulgada esta semana, o departamento técnico do Sindaçúcar-AL informou que 16 usinas estão em operação na safra 17/18.

A expectativa de moagem foi revista para 13,2 milhões de toneladas de cana – a menor da história recente em Alagoas. Confirmado este número, a redução será de quase 20% na comparação com o ciclo anterior. Para piorar, os preços de açúcar e etanol estão em queda de quase 20%.

O boletim divulgado pelo Sindaçúcar-AL estima produção de 1,2 milhão de toneladas de açúcar e 247.486 milhões de litros de etanol. Nestes dados, não constam a estimativa de safra das três usinas do Grupo Carlos Lyra, que estão em plena safra. Com base nas informações de 13 unidades industriais, apenas seis delas comunicaram que terão variações negativas na quantidade de cana processada neste ciclo, oscilando entre -1,2% até – 17,8%.

Na safra anterior, 17 usinas operaram em Alagoas. Até agora entraram em em operação as usinas Santo Antonio; Camaragibe, Porto Rico; Santa Clotilde; Santa Maria; Sumauma; Coruripe; Copervales; Serra Grande; Cachoeira; Pindorama; Marituba; Taquara e Caeté, além de Seresta e Leão. Apenas a usina Penedo, que moeu no ciclo anterior, não informou uma data para o começo da moagem, nem previsão de produção.