Category Archives: Economia

Alagoas tem etanol mais caro do Nordeste: será que o governo também consegue baixar o preço?
   13 de julho de 2017   │     21:51  │  3

É ou não um ‘mistério’? Alagoas é o maior produtor de açúcar e álcool (etanol) do Nordeste. Pela lógica, deveria ter o menor preço.

Na verdade, o valor cobrado ao consumidor nas bombas é o maior da região e o quinto maior do país.

Alguém aí entende porque?

Nessa terça-feira Renan Filho gravou vídeo para as redes sociais informando que o preço da gasolina caiu em Alagoas. É Fato, em alguns postos, o valor médio saiu de R$ 3,80 para cerca de R$ 3,20.

A redução, segundo o governador foi fruto de ação conjunta do governo do Estado, através do Procon, Ministério Público Estadual e OAB.

“Nunca entendi porque em Alagoas a gente pagava uma das gasolinas mais caras do país. Os preços aqui chegavam a R$ 3,90. Nunca aceitei isso. Uma ação do Procon Alagoas, Ministério Público Estadual e da OAB comprovou que o combustível pode ser muito mais barato”, disse o governador em vídeo nas redes sociais.

No vídeo, o governador diz que depois desse trabalho Alagoas terá uma das gasolinas mais baratas do país. Para isso, prometeu que a ação permanente vai “ser rotina do Procon”.

Falta agora o governo do estado, OAB e MPE fazer o mesmo trabalho em relação ao etanol. Afinal, não é fácil explicar porque o combustível é tão caro em Alagoas.

O governador tem como controlar o Procon, mas, convenhamos, não será fácil garantir só com a fiscalizar a redução permanente dos preços dos combustíveis.

Veja os preços

A última pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP), realizada entre 2 e 8 de julho mostra que o preço médio da gasolina em Alagoas é de R$ 3,768 e de R$ 3,793 em Maceió. A redução, que ainda não chegou a todos os postos, deve ser verificada na pesquisa desta semana, com divulgação na próxima sexta-feira.

De fato, a gasolina por aqui está (ou estava mais cara). Veja o preço médio, na mesma pesquisa, nos estados “vizinhos”: Bahia, R$ 3,468; Pernambuco, R$ 3,418 e Sergipe, R$ 3,416.

Alagoas, embora seja um estado produtor, tem o maior preço médio do Nordeste. Aqui, segundo a ANP, o valor médio do litro sai por R$ 3,206. Compare com os “vizinhos”: Bahia, R$ 2,816; Pernambuco, R$ 2,850 e Sergipe, R$ 3,088.

Afora isso, os preços praticados nos postos de Alagoas estão muito acima da média nacional.

Confira as tabelas:

RF promete ação permanente para garantir gasolina mais barata em Alagoas
   11 de julho de 2017   │     20:08  │  1

Nos últimos dias quem precisou abastecer o carro com gasolina em Maceió teve uma boa surpresa. O preço do combustível caiu, em alguns postos, de uma média de R$ 3,80 para cerca de R$ 3,20.

Em vídeo postado na noite desta terça-feira nas redes sociais, o governador Renan Filho atribuiu a redução do preço à uma ação conjunta do governo do Estado, através do Procon, Ministério Público Estadual e OAB.

“Nunca entendi porque em Alagoas a gente pagava uma das gasolinas mais caras do país. Os preços aqui chegavam a R$ 3,90. Nunca aceitei isso. Uma ação do Procon Alagoas, Ministério Público Estadual e da OAB comprovou que o combustível pode ser muito mais barato A partir de agora o consumidor vai pagar o preço médio de R$ 3,20 em Maceió e pouco menos do que isso no interior, em Arapiraca e em outros municípios do agreste e do sertão”, disse o governador.

No vídeo, o governador diz depois desse trabalho Alagoas deixou de ter uma das gasolinas mais caras do país para ter a terceira mais barata. Ele encerra garantindo que a ação permanente vai “ser rotina do Procon”.

Veja aqui o vídeo de RF falando da redução dos preços da gasolina:

https://www.facebook.com/RenanFilhoAL/videos/1100745686694044/

Com R$ 294 milhões, ICMS de Alagoas cresce abaixo do esperado em junho
   4 de julho de 2017   │     19:27  │  0

Alagoas continua, a julgar pelos números do ICMS, na contramão da crise. O estado registrou em junho mais um resultado positivo no recolhimento de seu principal tributo próprio.

No mês, segundo números da Secretaria da Fazenda, a arrecadação chegou a R$ 294,30 milhões, com variação de 6,32% na comparação com igual mês de 2016, quando foram arrecadados R$ 276,8 milhões.

O valor arrecadado, embora recorde para o mês, ficou abaixo do esperado. A expectativa técnicos da Sefaz era de um crescimento na ordem de 7%.

A avaliação preliminar é que o resultado foi afetado por setores como combustíveis, comunicações e varejo.

O secretário da Fazenda, George Santoro, revela que a arrecadação desacelerou nos últimos dias do mês passado. “A receita ficou um pouco abaixo do esperado. Ainda estamos avaliando, setor por setor, para verificar o que aconteceu”, pondera.

Apesar de ter ficado acima da inflação, o resultado de junho ficou abaixo da média anual de arrecadação e puxou para baixo o desempenho da receita acumulada no ano. De janeiro a junho, o ICMS somou R$ 1,831 bilhão, em crescimento de 6,86% na comparação com o mesmo período de 2016, quando foram arrecadados R$ 1,731 bilhão.

A estimativa inicial do governo era de um crescimento acima de 8% na receita de impostos próprios. Pelo andar da carruagem – com o agravamento da crise política travando ainda mais a economia – não será atingir essa meta.

Governo anuncia investimentos de R$ 400 milhões e promete dobrar saneamento em Maceió
   3 de julho de 2017   │     20:15  │  0

O governador Renan Filho promete dobrar, até o final do próximo ano, a rede coletora de esgoto de Maceió. Não será uma tarefa fácil.

A área saneada corresponde, hoje, a apenas 35% da cidade. Se a meta for atingida, ao final de 2018, 70% da capital terá rede de saneamento.

Para isso, o governo anunciou, nesta segunda-feira, 3, investimentos por meio de PPP (Parceria Público Privada) da ordem de R$ 400 milhões. O valor a ser investido é oito vezes maior do que os investimentos efetivamente realizados nos últimos 15 anos (R$ 50 milhões), segundo dados do governo.

Com o investimento, será construído o sistema de esgotamento sanitário do bairro Farol e adjacências, orçado em R$ 200 milhões. O outro sistema, cujas obras também estão em execução, é gerido pelo Consórcio Sanama e atenderá o Tabuleiro do Martins e Benedito Bentes. Os investimentos também são da ordem de R$ 200 milhões.

Os investimentos na rede de saneamento foram anunciados no Palácio República dos Palmares, durante com a assinatura do termo de concessão de área, pelo Exército Brasileiro, para a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal). No local, o Consórcio Sanema vai construir uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).

A Agência Alagoas fez texto sobre os investimentos na rede de saneamento. Leia:

MACEIÓ

Governo vai dobrar percentual de pessoas atendidas com esgotamento sanitário

O Governo do Estado espera ampliar, para 70%, até o final de 2018, o percentual da população atendida por rede coletora e de tratamento de esgoto em Maceió, que hoje é de 35%, com investimentos da ordem de R$ 400 milhões. Ato importante para que isso ocorra foi oficializado na tarde desta segunda-feira (3), no Palácio República dos Palmares, com a assinatura do termo de concessão de área, pelo Exército Brasileiro, à Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).

Leia aqui, na íntegra:

http://www.agenciaalagoas.al.gov.br/noticia/item/17364-governo-vai-dobrar-percentual-de-pessoas-atendidas-com-esgotamento-sanitario

 

Por aumento para servidor, RF é ‘acusado’ de comprometer ajuste fiscal de AL
   28 de junho de 2017   │     23:43  │  5

Para a coluna Radar On Line, da Revista Veja, Renan Filho está “na contramão do ajuste fiscal”. O motivo? O reajuste salarial para os servidores públicos de Alagoas.

O governador, como se sabe, anunciou, este mês, aumento de 6,29% para o funcionalismo, correspondente a correção da inflação de 2016.

Veja o que diz o Radar: “Pelo menos um estado parece ignorar a crise econômica: Alagoas. Dos 27 estados brasileiros, 23 não deram aumento aos servidores estaduais. Os casos mais críticos são de Sergipe, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Todos governados por peemedebistas. Renan Filho (PMDB) está alheio a crise. Neste mês ele anunciou um reajuste de 6,29% na folha de pagamento, a ser pago em duas parcelas. O governador do Ceará Camilo Santana (PT) também anunciou um reajuste, mas de apenas 2%”.

O Radar ainda prevê mais aumento de gastos com pessoal no estado: “Essa semana a Assembleia Legislativa deve aprovar um aumento de 11,9% para os servidores que recebem o teto salarial estadual. Governador e vice, claro, além de procuradores, coronéis da polícia militar e delegados da polícia civil”.

O que será que os dirigentes de sindicatos da categoria pensam disso?

Saúde financeira

A posição do governo sobre a concessão do reajuste para os servidores, em plena crise, é simples: o estado fez o dever de casa, com o maior corte de gastos e o maior aumento de arrecadação do país, além de registrar um dos maiores superávit entre todos os estados. Não é só. O governo também conseguiu reduzir o percentual de gastos com o funcionalismo.

Nesse cenário, convenhamos, o governador não tinha como não dar o reajuste.

Dá para agradar a todos?

Renan Filho reagiu com descontração à cutucada da Veja. Ao comentar o assunto com um assessor, disse que era criticado por não dar o reajuste e agora passou a ser criticado por ter dado o aumento aos servidores.

O governador disse ainda, em conversa reservada, que deu o reajuste porque foi uma medida justa, dentro da possibilidade financeira do estado. Ainda assim, Renan Filho, deve responder a coluna Radar. Em sua resposta, vai dizer que não está preocupado nem com a eleição e ainda menos com a “opinião” da revista – ao menos uma opinião que parece ter sido dada sem o conhecimento da realidade financeira de Alagoas. Desde 2016, o estado tem sido destacado por diferentes rankings e órgãos federais pelo equilíbrio de suas finanças.

Veja o que diz Veja:

Leia aqui, na íntegra o texto sobre a contramão do ajuste fiscal: http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/renan-filho-na-contramao-do-ajuste-fiscal/