Category Archives: Economia

Usinas fazem doação de álcool para combater coronavírus de AL
   21 de março de 2020   │     19:08  │  3

As usinas de Alagoas – indústrias associadas ao Sindaçúcar-AL – decidiram fazer a doação álcool ao sistema público para fabricação de desinfetantes de mãos (álcool gel) e solução de álcool 70. O objetivo é contribuir no combate da Covid-19 e na evitar a disseminação do novo coronavírus.

A decisão foi comunicada na quinta-feira, 19, pelo presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira, ao Governo de Alagoas, através do Secretário da Casa Civil, Fábio Farias, e ao presidente da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas, José Carlos Lira.

“As empresas, embora fabriquem o etanol numa concentração de mais de 90%, já se dispuseram a doar o álcool na concentração de 70%, o mais indicado para assepsia em ambientes hospitalares ou outras áreas para evitar a disseminação do coronavírus e de outras doenças infectocontagiosas”, explica.

Inicialmente serão doados 80 mil litros. “Se for preciso, as empresas poderão fazer uma nova doação”, aponta, o presidente do Sindaçúcar-AL, acrescentando que foi definido com as autoridades estaduais a logística de toda a operação.

“O álcool será entregue a uma central de recepção. E a partir deste ponto, o produto será redistribuído para hospitais, asilos ou associações comunitários em recipientes menores. Cada hospital, associação ou asilo, por exemplo, faria o fracionamento adequado para sua situação”, pondera, Robério Nogueira.

O Sindaçúcar-AL definiu que todo o álcool doado será envasado em uma das suas filiadas, a Cooperativa Pindorama. “Na cooperativa o álcool será acondicionado em embalagens de 20 litros e depois será doada ao governo”, informa.

Até o momento, explica Pedro Robério Nogueira, já confirmaram a doação as usinas que tem disponibilidade imediata do produto: Coruripe, Caeté, Santo Antônio, Serra Grande, Porto Rico, Pindorama, Leão, Santa Clotilde e Sumaúma.

Pedro Robério Nogueira reforça que a contribuição será gratuita, como forma de contribuir com os esforços do governo e da sociedade num momento de grave crise.

“As empresas setor sucroenergético mais uma vez querem se unir aos esforços da população, das autoridades de saúde e dos demais órgãos públicos. Nesse caso, o objetivo é proporcionar aos profissionais de saúde, pacientes e familiares tenham acesso a um produto necessário para todos pessoas consigam superar esse momento de grave crise”, afirma.

Americanas burlam decreto da Covid-19 e são alvo de operação da PM em AL
     │     16:40  │  0

Com várias lojas espalhadas pro Alagoas, um dos maiores grupos de varejo do Brasil, as Lojas Americanas tentaram burlar o decreto do Governo do Estado de Alagoas que proíbe o funcionamento do comércio, entre outros estabelecimentos não essenciais por um período de 10 dias, a partir deste sábado, 21.

As medidas, consideradas de emergência, foram anunciadas para tentar contenção o avanço da Covid-19 no Estado.

Sob a alegação de que são supermercados – estabelecimento que podem funcionar durante este período, porque vendem itens considerados essenciais para a população – as Lojas Americanas de Alagoas amanheceram neste sábado, 21, de portas abertas em Alagoas.

A população, segundo informações do governo de Alagoas, tem feito ligações constantes denunciando a abertura e pedindo o fechamento das lojas. Foram várias denúncias no serviço da Polícia Militar.

Algumas lojas fecharam as portas após a abordagem da PM, que chegou a enviar diversas viaturas e policiais para ‘convencer’ os gerentes de cada unidade ao fechamento.

Até o momento do fechamento deste texto, pelo menos a Americanas do município de Delmiro Gouveia permanecia aberta, desafiando as autoridades estaduais.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas, Rafael Brito, faz uma apelo para que as Lojas Americanas respeitem o decreto e dêem o exemplo a toda a sociedade.

“Na opinião do governo, Americanas não é supermercado. Não vende arroz, farinha, feijão, carne ou frango. A empresa, por ser grande como é, deveria dar exemplo de civilidade, como várias outras empresas fecharam suas portas, sem a necessidade do Estado determinar. Este é o caso de alguns hotéis de Maceió, que anunciaram o fechamento, sem o Estado anunciar medidas específicas”, explica Brito.

Para Rafael, a Americanas tenta argumentar, equivocadamente, que por vender biscoito e chocolate é supermercado. “Não está correto. Só ficou aberto o que é serviço essencial para a população, para que as pessoas comprem itens de cesta básica ou de higiene”, explica.

Ainda segundo Rafael, todas as Lojas Americanas que foram alvo de abordagem policial fecharam, “após um longo processo de argumentação”, menos a loja Americanas de Delmiro Gouveia.

A Lojas Americanas do Centro de Maceió foi uma das unidades do grupo que abriu as portas neste sábado e fechou após entendimento com a Polícia Militar,

Natura confirma implantação de CD em Alagoas
     │     0:08  │  2

Uma das gigantes do setor de cosméticos, a Natura – que concluiu em janeiro deste ano a compra da Avon e se consolidou como o 4o maior grupo de beleza do mundo – confirmou investimentos em Alagoas.

A confirmação do novo negócio veio através de nota: “a Natura firmou um acordo de cooperação com o governo de Alagoas para a implementação de um Centro de Distribuição no estado em busca da ampliação da capacidade da rede de distribuição da Natura na região Nordeste e da otimização do tempo de entrega dos pedidos feitos pela força de venda”, diz trecho da nota (leia a seguir).

O Estado foi escolhido para a implantação de um Centro de Distribuição, que será o oitavo do grupo no Brasil. A expectativa, segundo comunicado oficial da marca, é a geração de 300 empregos diretos e indiretos.

O CD, um megacentro de logística da empresa atenderá Alagoas e outros Estados. A nova unidade será instalada a 40 km de Maceió, no município de Murici, numa área de fácil acesso a rodovias federais.

A Natura e o Governo de Alagoas não informam o valor do investimento. O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas, Rafael Brito, explica que o Estado assegurou incetivos e o apoio necessário para a instalação do novo negócio em Alagoas.

As negociações, realizadas desde 2019, foram mantidas de forma reservada em respeito as normas de mercado.

“A confirmação Centro de Distribuição da Natura é muito importante para Alagoas, não só pela geração de empregos e de novos negócios no Estado, mas por tudo que a empresa representa. Ser escolhidos para receber investimento de um dos maiores grupos do mundo mostra que estamos no caminho certo”, aponta Rafael Brito.

O secretário explica ainda que o governador Renan Filho determinou todo o apoio para a chegada do CD da empresa ao Estado: “o governo ofereceu além dos incentivos do Prodesin, um ambiente de muita hospitalidade e de muita celeridade em todas as etapas do processo. Estamos muito felizes e honrados com escolha da Natura”, aponta.

Veja a nota da Natura

A Natura firmou um acordo de cooperação com o governo de Alagoas para a implementação de um Centro de Distribuição no estado em busca da ampliação da capacidade da rede de distribuição da Natura na região Nordeste e da otimização do tempo de entrega dos pedidos feitos pela força de venda.

O estado de Alagoas foi escolhido por atender à estratégia logística da empresa. O novo centro de distribuição ficará no município de Murici, a cerca de 40km de Maceió. De acordo com as expectativas do projeto, quando o CD estiver em pleno funcionamento poderá contribuir de forma relevante com a receita de ICMS do estado, podendo gerar em torno de 300 empregos diretos e indiretos

Entre as contrapartidas por parte do governo estão a abertura de centros de formação técnica para capacitação da mão de obra local e transporte público para o local onde será instalado o CD. Pelo acordo, o governo do estado de Alagoas garantirá incentivos fiscais e locacional.

No momento, o planejamento do novo centro não implica o fechamento de outra operação da rede de distribuição, e a unidade atenderá os pedidos da marca Natura. Com a implementação do Centro de Distribuição em Alagoas, a Natura passará a ter oito CDs no país.

Empresas cancelam 50% dos voos para Maceió, avisa secretário
   17 de março de 2020   │     20:22  │  0

Chegar e sair da capital de Alagoas por via aérea deve se tornar mais difícil a partir desta semana. A estimativa é de cancelamento de até metade dos voos para Maceió a partir desta quarta-feira, como reflexo da pandemia mundial do coronavírus.

No site da empresa que administra o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, a Aena, dos 23 voos previstos para a capital de Alagoas nesta quarta-feira, 18, estavam previstos 23 voos. Destes, pelo menos 3 voos para Recife tem cancelamento confirmado. Os outros voos ainda estavam classificados como ‘previstos’ até as 23h desta terça-feira, 17.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas, Rafael Brito, vem monitorando a evolução da crise econômica provocada pela pandemia nos principais setores do Estado: “já sabemos que as áreas mais afetadas serão a do turismo e a do comércio. Hoje a situação é bem mais preocupante. Da semana passada para semana para cá os cancelamentos (de reservas em hotéis) apareceram com força”, aponta.

O cancelamento de voos das empresas que operam em Alagoas, pondera, Rafael Brito, é um dos principais termômetros para a crise que começa a afetar o turismo em Alagoas: “na semana passada, as companhias informam que iam cancelar 30% dos voos. A partir desta semana, vão cancelar 50% e daqui a 15 dias pode chegar a 70% de voos cancelados. Os voos internacionais foram cancelados no Brasil inteiro. Hoje só temos 5% dos voos que estavam em operação há uma semana”.

O cancelamento da vinda de navios de cruzeiros para Alagoas também deve afetar o turismo. “Cancelaram tudo. Não para mais navio aqui mais de jeito nenhum. Agora só quando acabar crise”, afirma.

Vai passar

Rafael Brito, apesar do cenário de hoje, olha com otimismo o que vem depois da pandemia. “Estou preocupado, mais com o sentimento das pessoas, do que com impacto econômico. Mas acredito que tudo isso vai passar e espero que o quanto antes. Nossa expectativa é que dentro de 60 dias tudo volte a melhorar”, pondera.

Saiba mais aqui: Informações de voos Maceió

 

Redução no número de voos pode afetar turismo de AL
   15 de março de 2020   │     13:39  │  0

Não é se, mas quando. O setor de turismo de Alagoas ainda não começou a sentir os efeitos da crise global provocada pelo do coronavírus. É inevitável, no entanto, que um dos mais importantes segmentos da economia do Estado sofrerá o impacto provocado pela pandemia.

“Infelizmente nosso turismo também será afetados de uma forma ou de outra. No momento não há cancelamentos de hospedagens, nem redução de reservas, mas fomos informados que as companhias aéreas devem reduzir em cerca de 30% os voos para todo o país, inclusive Alagoas. Com isso, podemos perder alguma movimentação de turistas temporariamente”, aponta o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas, Rafael Brito.

O secretário explica que fez uma consulta, na sexta-feira passada, 13,  a todas as companhias aéreas que operam em Alagoas. “O que eles disseram é que existe no momento uma redução de cerca de 30% na procura futura por voos em todo o país. Se essa projeção se mantiver, a redução no número de voos será proporcional”, afirma.

“A avaliação é que se a crise se agravar, a redução poderá chegar a 50%”, emenda Brito.

No caso de Alagoas, a queda maior na procura por voos para o Estado, segundo o secretário, é na baixa temporada. “Ainda assim, com tivemos um aumento no número de voos este ano, estamos com movimentação igual ao ano passado. A rede hoteleira, segundo consulta que fiz a a associações do setor, ainda não sente os efeitos do coronavírus”, aponta.

Pós pandemia

Rafael Brito acredita que depois que o pânico da pandemia passar, Alagoas deve ter um forte crescimento no setor de turismo.

“Fizemos várias ações, divulgando o destino Alagoas no Brasil e na Europa. Quando passar essa fase de pânico – e ela vai passar – em torno desa pandemia, que na minha avaliação é exagerada, o setor turismo do nosso Estado deve ter uma nova fase de aquecimento”, aponta.

Destinos internacionais

Neste domingo, a American Airlines suspendeu todos os voos para o Brasil, decisão que pode afetar o turismo no Brasil.

Na capital de Pernambuco, que tem um dos aeroportos mais movimentados do Nordeste e que serve de embarque e desembarque internacional para muitos que entram e saem de Alagoas, a prefeitura decidiu suspender aulas, proibir grandes aglomerações do público e solicitar à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a suspensão de todos os voos internacionais no Aeroporto Internacional do Recife.

Saiba mais

American Airlines suspende todos os voos para o Brasil

Prefeitura do Recife suspende aulas e antecipa férias de escolas municipais por causa do novo coronavírus