Category Archives: Geral

É grave a crise: prefeito denuncia ‘roubo’ de água no sertão de AL
   15 de novembro de 2018   │     1:14  │  1

A estiagem prolongada no sertão de Alagoas pode virar caso de polícia. Literalmente. Prefeito de Cacimbinhas e presidente da Associação dos Municípios Alagoas (AMA), Hugo Wanderley (MDB), usou as redes sociais para dar um ultimato aos “bandidos” e denunciar o “roubo” de água na adutora que abastece, além do seu município, a cidade de Major Isidoro.

“Verdadeiros bandidos têm sangrado a adutora por meio de carros-pipas e de grandes cisternas. Mas aqui eu deixo meu recado: estamos vigilantes e já estou tomando as providências. Muito cuidado. Porque será eu, a população da minha cidade, principalmente os mais pobres, ou vocês. Estamos na luta”, advertiu em vídeo publicado nas redes sociais.

Segundo Wanderley, as cidades estão desabastecidas e as populações de Cacimbinhas e Major Izidoro sofrem com a falta de água.

O alerta as redes sociais doi duro: Atenção vocês que estão lucrando com a VENDA ILEGAL DE ÁGUA! Não vamos permitir que esses bandidos enriqueçam às custas da sede e da desgraça do nosso povo!”

Veja o vídeo:

 

 

“Sem destino e sem fronteiras sempre”: o adeus a um amigo
   24 de setembro de 2018   │     19:47  │  0

Um quilômetro depois do outro. Nove anos na estrada. Rodando Alagoas de canto a canto e vez por outra dando uma esticada mais longe. Se emendássemos tudo, daríamos com folga mais de dez voltas na terra.

Foi uma longa jornada Samuel. E sou grato. Mais do que um colega de trabalho, um bom amigo. Conselhos, confidências e muitas, muitas, muitas imagens.

Juntos contamos tantas histórias, mostramos o que essa nossa terra tem de bom. Essa mesma terra, amigo, que haverá de te acolher como última morada.

Sua jornada foi de muita luta, mas também de muita alegria.

Você parte cedo, deixando por aqui uma legião de amigos. A família, a turma da comunicação, o grupo da vaquejada, a agropecuária, a agricultura familiar. Todos vão sentir saudades. A equipe da BCCOM, de hoje e de ontem, com quem você dividiu tantas horas e histórias, sentirá além de saudades, falta de seu trabalho, da sua energia e sua capacidade de se reinventar e seguir sempre em frente.

Siga em paz velho amigo, “sem destino e sem fronteiras sempre”, como você ás vezes gostava de “assinar” como sua marca.

Obrigado por tudo.

Nota

Informo com pesar que Samuel Gomes Pereira, um colega de trabalho, que considero como um grande amigo, faleceu nesse domingo, 23, vítima de acidente automobilístico.

O corpo será velado a partir das 10h desta terça-feira, 25, na Igreja Assembleia de Deus, na rua cruzeiro do sul, 165, Vergel, por trás do Colégio Rui Palmeira. O sepultamento será no Memorial Park Maceió, no bairro Benedito Bentes às 16h.

Renan Filho e Collor terão maiores tempos no guia eleitoral
   23 de agosto de 2018   │     20:14  │  0

O Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE-AL) apresentou nesta quinta-feira, 23, o tempo dos candidatos e coligações no guia eleitoral.

Os números do TRE confirmam a estimativa ( veja aqui ) antecipada pelo blog. O programa eleitoral será exibido de segunda a sexta-feira no rádio e na TV, sempre em dois horários. Às segundas, quartas e sextas, usam o espaço os candidatos ao governo, Senado e deputado estadual. Às terças, quintas e sábado, é a vez de candidatos a deputado federal e e presidente.

Entre os candidatos a governador, o maior tempo será de Renan Filho (MDB). Ele terá 4 minutos e 47 segundos em cada bloco. Fernando Collor (PTC) terá 3 minutos e 31 segundos. Juntos, os dois candidatos que também aparecem melhor colocado nas pesquisas, usarão 95% do tempo de rádio e TV (10 minutos em cada bloco).

O terceiro maior tempo será de Basile Christopoulos (PSOL), de 16 segundos, seguido de Josan Leite (PSL), 14 segundos e Melquezedeque (PCO), com 10 segundos.

O uso do tempo de TV e rádio deve aumentar a polarização entre Collor e Renan Filho. O guia eleitoral, apesar das redes sociais, deve ser decisivo para a definição do eleitor.

Todos os candidatos terão também direito a inserções (anúncios) durante a programação do rádio e TV, diariamente. As inserções serão proporcionais ao tempo do programa eleitoral.

Horário

O horário eleitoral na TV começa no dia 31 de agosto e vai prosseguir até 4 de outubro em blocos. No rádio, haverá um bloco às 7h e outro às 12h. Na TV, o primeiro bloco será veiculado às 13h e o segundo às 20h30.

Mais 100 trabalhadores perdem empregos no Canal do Sertão
   9 de agosto de 2018   │     18:11  │  1

As obras do trecho IV do Canal do Sertão Alagoano estão em ritmo lento. E podem parar de vez nas próximas semanas por falta de recursos financeiros.

Os repasses continuam atrasados, apesar do Ministério da Integração Nacional ter anunciado no último dia 11 de julho que novos recursos seriam liberados no mês passado.

São necessários R$ 226 milhões para a conclusão das obras do trecho IV, que já estariam assegurados no Orçamento da União. Do total, R$ 61 milhões deverão ser aplicados ainda este ano. A informação veio depois que registrei aqui a demissão de trabalhadores e a desaceleração da obra.

Até agora, os recursos ficaram só n a promessa.

As empresas que tocam o trecho IV anunciaram a demissão de mais 100 trabalhadores da obra ao longo deste mês. No pico da obra eram 850 trabalhadores. Com as demissões serão 420. A obra não recebe recurso há dois meses e cerca de R$ 30 milhões reais estariam “em aberto”.

As demissões de mais da metade dos trabalhadores decorre do atraso no repasse de recursos federais para a obra, que é tocada pela Secretaria de Infraestrutura de Alagoas.

O mínimo para a construção não paralisar por completo seria de R$ 61 milhões, previstos no orçamento geral da União para o canal do sertão. Além disso teria um saldo de R$165 milhões para conclusão. O cronograma para conclusão terá de ser revisto. Era final 2018. Agora sem previsão.

Esclarecimento

Em nota, a Secretaria de Estado da Infraestrutura que realiza a obra do Canal do Sertão em convênio com o Ministério da Integração, confirma o atraso no repasse de recursos.

“A Secretaria de Estado da Infraestrutura esclarece que aguarda o repasse de recursos provenientes do Ministério da Integração Nacional para que as obras do Canal do Sertão sejam concluída”, diz a nota.

Tarifa de água de Maceió é a terceira mais cara do Brasil
   13 de junho de 2018   │     19:40  │  0

A Companhia de Saneamento de Alagoas anunciou um novo reajuste nas tarifas cobradas dos consumidores de todo o Estado. O aumento aprovado pela Agência Reguladora de Serviços de Alagoas (Arsal) será de 5,88% a partir de 1o de julho deste ano.

A tarifa de água e saneamento de Alagoas, antes mesmo do reajuste entrar em vigor, já é considerada uma das mais caras do Brasil. De acordo com o Ranking de Saneamento Básico 2018, do Instituto Trata Brasil, divulgado recentemente, a tarifa de água cobrada dos consumidores de Maceió é maior entre todas as capitais e a terceira mais cara do Brasil no ranking das 100 maiores cidades do país.

Maceió é a única cidade de Alagoas que aparece no ranking. Os dados divulgados no ranking são relativos a 2016. A tarifa média era de R$ 5,83 por metro cúbico, abaixo apenas de dois municípios: Canoas (R$ 6,69) e Gravataí (R$ 6,55), ambas no Rio Grande do Sul.

Os demais municípios do estado atendidos pela Casal (são 77 cidades ao todo) pagam tarifas iguais à de Maceió, mas não aparecem no estado.

O ranking, que pode ser acessado na página do Instituto, revela ainda que a qualidade do serviço é inversamente proporcional ao preço. “Enquanto aparece em 3o no valor da tarifa, Maceió é a 74a cidade no ranking, que leva em consideração questões como tratamento de água e esgoto e a qualidade do serviço prestado ao consumidor”, aponta David Maia, que a partir de sua atuação em órgãos da prefeitura de Maceió (Meio Ambiente e Slum) se tornou num crítico do trabalho da Casal.

Num vídeo que circula nas redes sociais, David Maia questiona mais um reajuste na tarifa acima da inflação: “nos últimos anos a conta da Casal aumentou 60%, enquanto a inflação aumentou 19%”, aponta.

Evolução das tarifas

Levantamento que divulguei na semana passada na coluna Mercado Alagoas da Gazeta de Alagoas mostra que o reajuste de tarifas da Casal, aprovado no final de maio, embora seja o menor em quatro anos é exatamente o dobro do IPCA de 2017 (2,94%). De acordo com a Arsal, que autorizou o aumento de 5,88%, o reajuste levou em conta um estudo da Companhia , que apontou elevação de custos operacionais e de investimentos nos últimos 12 meses.

A lógica tem sido a mesma desde 2015, com reajustes sempre acima da inflação. Naquele ano o aumento foi de 15,27%, ante inflação de 6,4% em 2014. Em 2016, o reajuste foi de 16,5% contra uma inflação de 10,67% em 2015. Já em 2017, o aumento da tarifa foi de 9,76% e a inflação do ano anterior 6,28%. No acumulado (soma direta dos percentuais) os aumentos chegaram a 47,41% de 2015 a 2018, enquanto a inflação de 2014 a 2017 ficou em 26,29%.

Investimentos

O lado “positivo” desses reajustes ou “recomposição tarifária” como prefere traduzir o presidente da Casal, Clécio Falcão, é a recuperação das finanças da empresa nos últimos anos. Em 2014, o saldo negativo foi de R$ 53 milhões. E em 2015 – primeiro ano da atual gestão – o deficit foi reduzido para R$ 23 milhões.

“A partir de 2016, mudamos essa situação, começamos a mostrar que, de fato, a Casal é uma empresa viável e que pode dar superavit para aumentar sua capacidade de investimento em obras e serviços que melhoram a qualidade de vida dos alagoanos”, acrescentou o presidente da Companhia, Clécio Falcão.

No dia 27 de abril passado a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) publicou balanço financeiro de 2017 e apresentou um superavit de R$ 7,5 milhões. Foi o segundo ano seguido em que a estatal teve saldo positivo em suas contas. Em 2016, o superavit foi de R$ 7,5 milhões.

O superavit por dois anos seguidos, segundo Falcão, é resultado de entre outras medidas do reequilíbrio tarifário, enxugamento de contratos, melhoria sistemas para aumentar o fornecimento de água e, consequentemente, o faturamento, ações de combate a fraudes no consumo de água e negociação de débitos em atraso de municípios.

Com a recuperação financeira, a Casal recuperou sua capacidade de investimentos com recursos próprios e anunciou para este ano, junto com o governo do Estado, recursos da ordem de R$ 100 milhões para tocar projetos e obras em Maceió e várias cidades do interior.

Veja o ranking

RANKING DO SANEAMENTO BÁSICO – 100 MAIORES CIDADES (SNIS 2016)

Veja a composição tarifária da Casal (antes do reajuste): https://www.casal.al.gov.br/estrutura-tarifaria/

Veja texto da Agência Alagoas sobre o reajsute:

Arsal autoriza reajuste de 5,88% na tarifa da Casal a partir de 1º de julho