Category Archives: Política

Marcelo Victor vai mudar de partido e deve “levar” maioria dos deputados com ele
   29 de novembro de 2021   │     22:58  │  0

Agora é oficial. O presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas, deputado estadual Marcelo Victor está oficialmente liberado para trocar de partido. Vai deixar, como esperado,  o  Solidariedade e passará a comandar o DEM no Estado.

A mudança, como antecipou o presidente do diretório estadual do Democratas, ex-deputado federal José Thomaz Nonô nesta segunda-feira (29/11), será realizada ainda em dezembro de 2021, antes da formalização da fusão da legenda com o PSL  – quer resultará na formação do União Brasil.

O deputado estadual Bruno Toledo também foi liberado pela Justiça Eleitoral e vai trocar o PROS pelo DEM.

Outros deputados devem seguir Marcelo Victor. Ao menos outros 14 parlamentares podem acompanhar o presidente do Poder Legislativo na sua mudança partidária. Antes disso, precisam ser liberados pelos dirigentes de suas legendas ou alegar justa causa na Justiça Eleitoral.

Ao fim e ao cabo, o União Brasil pode ter até 16 dos 27 deputados estaduais de Alagoas.

A expectativa é que o UB torne-se um dos maiores partidos de Alagoas, com a maior bancada na Assembleia Legislativa, candidato ao Palácio dos Palmares – inclusive com direito a eleger o governador tampão em caso de afastamento de Renan Filho.

Articulando

Em entrevista ao jornalista Flávio Gomes de Barros no programa Conjuntura, na TV Mar, Nonô disse que “há muito vinha conversando com o presidente da Assembleia Legislativa Marcelo Victor, com quem tenho uma boa relação de amizade, não é de hoje”.

O principal objetivo, aponta Zé Thomaz, é formar chapas proporcionais: “para fazer um deputado estadual é preciso 60 mil votos. Um federal 18 mil votos. Tem muita gente ai que não vai se reeleger, inclusive gente de muitos votos”, pondera.

“A conversa já estava acertada. Marcelo Victor levou pedido e rejeitou, insinuações generosas de outras correntes e disse que tenho acerto com Nonô. Fomos a Salvador pelo menos três vezes conversar com o Neto (ACM neto), fomos a Brasília. Acertei isso tudinho para ele vir para o DEM, mas ele tinha o problema de fidelidade partidária. Com dr Fábio Ferrário cuidamos da liberação e ele se liberou agora e pode ir para onde quiser”, revela.

Segundo Nonô, a filiação será ainda em 2021: “para concretizar essa conversa que é de mais de ano, ainda no DEM, este mês de dezembro nós vamos filiar o deputado estadual Marcelo Victor e o deputado Bruno Toledo. Estamos fazendo isso com o maior prazer, porque é preciso ter bancada para o partido existir e não vejo ninguém melhor no momento para formar uma bancada, sobretudo de deputado estadual, do que o presidente da Assembleia, que tem inegável habilidade política. É só olhar. Conseguiu tirar a Assembleia de páginas menos nobres do noticiário, projeta uma imagem positiva e tem domínio total dos seus pares”.

Para Nonô, Marcelo Victor deve assumir o comando para conduziu a legenda nas eleições: “só o candidato tem a perfeita compreensão do que está acontecendo. Quando olho os quadros políticos de Alagoas acho que fizemos a decisão mais acertada do mundo. Depois de um ano e tanto está tudo acertado. O partido vai crescer muito, vai receber deputado estadual de mandato, candidatos novos, vereador da capital, tudo de mandato, tudo conversadinho, não é por obra e graça do Espírito Santo não”.

O projeto também inclui a disputa majoritária, revela Nonô: “vamos tentar viabilizar um candidato a governo. É evidente que o Marcelo tem condições, com o prestígio que tem, de fazer o famoso governador tampão. Não temos culpa da briga do governador Renan Filho com Luciano Barbosa, que deu no que deu. Então quem assume é o governador tampão, eleito pela Assembleia Legislativa”, afirma.

“Comenta-se muito o nome do deputado Paulo Dantas, comentam-se outros nomes também. O cenário da eleição vai depender da performance do próprio governador transitório no exercício desse mandado, da coesão, da manutenção da coesão na Assembleia Legislativa. Isso vai depender das variáveis, mas nós teremos um partido organizado e forte”, aponta.

Veja aqui a entrevista na íntegra: CONJUNTURA 29 11 21P1

Nonô fala para o programa Conjuntura, da TV Mar

Cientista político traça perfil ideal do próximo governador de Alagoas
     │     20:00  │  1

Quem será o próximo governador eleito pelo voto direto em Alagoas? Não dá para arriscar um nome, mas é possível imaginar o perfil do substituto de Renan Filho a partir de análises e pesquisas.

O cientista político Aelisson Batista, diretor do Instituto Vozes de Pesquisas, vem monitorando – como sempre vez em outras eleições – os movimentos dos eleitores para 2022.

Para Batista, uma sondagem recente do Paraná sobre as eleições presidenciais traça um pouco do perfil do que o eleitor que para o país e para Alagoas.

Na pesquisa (veja abaixo), um detalhe chama atenção de Aelisson a eleição nacional está “aberta”. Em outras palavras, existe espaço para uma terceira via. “Lula e Bolsonaro dialogam com os extremos e 50% mais ou menos buscam outras alternativas. A eleição presidencial está absolutamente aberta em busca de um outro nome”, pondera.

No caso de Alagoas, Aelisson traça o perfil que o eleitor quer, a partir de pesquisas qualitativas.

“Esse eleitor do ano que vem busca como a gente já viu nas qualis (pesquisas qualitativas), seja a nível nacional, seja a nível do Executivo estadual, alguém preparado, um gestor preparado, alguém com experiência na política, mas sem ser da velha política”, aponta.

Ainda segundo o cientista político, o eleitor quer um futuro governador “que seja corajoso, tenha pulso forte, seja determinado, mas seja absolutamente equilibrado, mas acima de tudo eles buscam alguém com uma profunda sensibilidade e entrega social. São as pesquisas que nos dizem isso”, avalia.

Preferência

De acordo com a sondagem do Paraná Pesquisa, o “Fator mais importante para a escolha de um(a) candidato(a) a Presidente”, em questão estimulada,, hoje seria honestidade (38,1%), competência (18,4%), ser próximo do povo (16%), ter experiência política (6,6%), Pulso firme (4,5%),Ser novo na política (1,5%).

A pesquisa eleitoral do instituto Paraná Pesquisas, divulgada não o dia 22 de novembro, mostra Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na frente. No primeiro cenário da pesquisa estimulada, ou seja, quando os candidatos são apresentados para os entrevistados, Lula lidera com 34,9% das intenções de voto. Bolsonaro tem 29,2% e Moro 10,7%.

A pesquisa foi feita com entrevistas presenciais entre 16 e 19 de novembro em 164 municípios de 26 estados e Distrito Federal, com 2020 eleitores. O grau de confiança é de 95%. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos nos resultados gerais.

Na sondagem espontânea, o voto está muito mais aberto que se imagina: 45,3% não sabe ou não respondeu, enquanto outros 11% disseram que não votariam em ninguém. Lula teve 19,4%, seguido de Bolsonaro com 18,4%, Moro com 2,8% e Ciro Gomes com 1,3%.

O interesse pela próxima eleição ainda é pequeno – algo esperado dada a distância do pleito. De acordo com a sondagem, dos entrevistados, 33,2% disseram que tem Muito interesse, 12,6% Algum interesse, 23,8% Pouco interesse, 27,7% Nenhum interesse e 2,7% Não sabe/ não opinou.

Saiba mais aqui: Lula tem 34,9%, Bolsonaro 29,2% e Moro 10,7%, segundo Paraná Pesquisas

Veja aqui a pesquisa na íntegra: Pesquisa de Opinião Pública Nacional

Rodrigo anuncia apoio a Dória: “O maior vencedor foi o espírito democrático”
     │     9:18  │  4

O senador Rodrigo Cunha, pré-candidato do PSDB ao governo de Alagoas, avalia que as prévias do PSDB, encerradas no último final de semana, fortaleceram o seu partido.

Para ele, a democracia partidária se consolidou. “O maior vencedor das prévias do PSDB foi o espírito democrático do partido”, aponta,

Em resposta ao blog, Rodrigo lembra que apoiou o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, nas prévias e adianta que seu presidenciável – a partir de agora – é o governador de São Paulo, João Dória.

“Com toda a certeza o maior vencedor das prévias do PSDB foi o espírito democrático do partido, que ofertou três grandes nomes como pré-postulantes à presidência da República. Apoiei e votei no governador Eduardo Leite, mas sempre manifestei meu respeito para com os demais pré-candidatos, o ex-prefeito Arthur Virgílio e o governador João Dória”, afirma.

Para o senador, a hora agora é de união. “Passado o período das prévias, é hora do partido se unir em torno de um projeto de desenvolvimento para o país, de terceira via, de mudança diante de um governo que, infelizmente, não conseguiu fazer a vida do brasileiro melhorar de forma concreta”, defende.

Não será tarefa fácil, alerta Rodrigo: “O desafio é enorme: cenário de pós-pandemia, ameaça de volta da inflação, alta galopante dos preços dos alimentos, dos combustíveis, turbulência política e muitos outros problemas. Por isso, acredito que o partido mostrou nestas prévias que é uma agremiação política madura, que tem humildade para reconhecer seus erros, que já comprovou grandes feitos em benefício do país e, principalmente, com excelentes quadros para comandar nossa nação e que deve somar esforços em nome de um único projeto rumo ao Palácio do Planalto em 2022.”

“Teremos João Dória como nosso presidenciável e também mostramos que Eduardo Leite é um grande nome, um nome nacional, símbolo da renovação e da prova de que sim, é possível fazer diferente.”, aponta Rodrigo Cunha.

Um dos mais importantes e respeitados quadros do governo pode deixar AL
   28 de novembro de 2021   │     20:02  │  0

Até março de 2022 Renan Filho dá um fim na própria dúvida: sai ou fica no governo? A data limite para a decisão é 2 de abril, mas ela será tomada com alguns dias de antecedência.

Antes disso, o governador precisa dar rumo para os principais integrantes de sua equipe. Alguns secretários já decidiram disputar as eleições. Outros podem ir embora de Alagoas.

Isso porque a equipe de Renan Filho é integrada no primeiro e segundo escalão por alguns quadros que vieram de “fora” – entre eles George Palermo Santoro.

Carioca, ex-militar, o secretário da Fazenda de Alagoas tornou-se quase unanimidade nos meios políticos e empresariais do Estado.

Na equipe de Renan Filho desde o primeiro dia de gestão, George Santoro é considerado um dos principais responsáveis pelo equilíbrio financeiro do Estado. E esse equilíbrio, aliado a outras iniciativas como o leilão do saneamento, renegociação da dívida e financiamentos que deu ao governo capacidade de investimentos.

O secretário da Fazenda está entre os que podem “deixar” Alagoas após o fim da gestão de Renan Filho. Ele não faz segredo disso para ninguém.

Santoro tem repetido que o compromisso dele é ficar até o final do governo de Renan Filho. Até o momento já recebeu convites para trabalhar em vários outros Estados (e até mesmo por aqui), mas só vai se posicionar depois do governador.

Se o governador ficar, George Santoro permanece até o fim da gestão. Se sair, George Santoro poderá até continuar no governo ou em outra posição, desde que combine antes com o próprio Renan Filho.

Alagoano por paixão

Considerado um dos melhores secretários de Fazenda do Brasil, Santoro apaixonou-se por Alagoas. Fez amigos por aqui e já se sente em casa – literalmente.

Nesses anos por aqui, George foi “fisgado” pela ‘alagoanidade’. Não bastasse isso, sua esposa, Danielle, não quer nem pensar em deixar Alagoas e Maceió.

Ou seja, Santoro pode até ir trabalhar fora, mas vai dar um jeitinho de manter pelo menos um “pé” no paraíso das águas.

Uma entrevista inédita

Conversei longamente com Santoro sobre o imbróglio da concessão na área do saneamento em Alagoas.  Foi um papo esclarecedor, técnico mesmo. Nesta segunda trago mais detalhes.

George Santoro, secretário da Fazenda de Alagoas

Arthur Lira avisa que país está pronto para enfrentar nova variante
     │     17:46  │  0

O avanço da variante Ômicron do novo coronavírus preocupa o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

Em sua conta no Twitter, o deputado avisou que a Câmara está acompanhando os desdobramentos da nova cepa em sintonia com o governo. Lira elogia o avanço da vacinação – que o Brasil entendeu o “único caminho”.

“A Câmara estará pronta para responder em caso de novas ações de enfrentamento”, afirmou.

O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, anunciou que o Brasil “fechará as fronteiras aéreas para seis países da África em virtude da nova variante do coronavírus”. Arthur Lira também repercutiu a decisão no Twitter. “Articulação dos ministros fechando nossas fronteiras em resposta a nova variante. Decisão, agilidade e cuidado com o Brasil”, afirmou.

Seguiremos acompanhando os desdobramentos da nova variante. A Câmara estará pronta para responder em caso de novas ações de enfrentamento.