Category Archives: Política

Senador diz que deixaram Rui de fora: “todos devem ser investigados”
   15 de junho de 2019   │     20:09  │  1

As tuitadas do senador Renan Calheiros (MDB) sobre a “vaza jato” neste sábado ganharam repercussão na imprensa local e também uma resposta do prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB).

Ao comentar diálogos – das conversas vazadas pelo site “The Intercept Brasil” – entre Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato, em que eles discutiam qual a porcentagem de investigação que iriam levar adiante no caso da Odebrecht, Renan cutucou Rui.

“A lei não separa quem investigar e quem não investigar. Se há 100%, como no caso da Odebrecht, teriam de investigar todos. Deixaram de fora 70%. Dentre eles, o prefeito de Maceió, @Ruipalmeira , mesmo depois de seu nome ter vazado como peneira”, disse o senador no Twitter.

Marcado na postagem do senador, o prefeito de Maceió reagiu também no Twitter: “O senador Renan Calheiros tem mania de nivelar todos pela sua régua. Me respeite e vá cuidar dos seus inúmeros processo no STF”, disse.

Renan, segundo um site local, replicou: “que não é desrespeito quando o que se defende é a investigação. Especialmente agora, ao descobrir que juiz e MPF só investigaram 30% dos citados pela Odebrecht. O que, infelizmente, é o caso”, completou Renan.

Se de fato a Lava Jato deixou algum nome de fora, seja do Rui ou não, Renan tem razão. Todos devem ser investigados. Todos.

Ronaldo será candidato a prefeito de Penedo com apoio dos Beltrão
   14 de junho de 2019   │     19:53  │  0

Cidade histórica e um dos maiores municípios de Alagoas (63,5 mil habitantes), Penedo deve repetir no próximo ano o embate entre o grupo do atual prefeito, Marcius Beltrão (PDT) e do ex-prefeito Alexandre Toledo (PSB).

Se a oposição ainda trabalha com a especulação de vários nomes, o candidato à sucessão do Marcius que cumpre seu segundo mandato, já está definido.

“Nosso candidato será Ronaldo Lopes”, avisa o deputado estadual Marcelo Beltrão (MDB), mesmo partido de Lopes, que é o atual vice-prefeito do município.

O nome de Ronaldo Lessa (PDT), mesmo partido de Marcius, apontado como eventual candidato à prefeito de Penedo, não tem circulado nos meios políticos do município.

“Desconheço se existe qualquer articulação nesse sentido. O que sei é que existe um compromisso com o Ronaldo Lopes”, pondera Marcelo.

O vice-prefeito de Penedo, Ronaldo Lopes, atua no setor de comunicação, tem uma forte tradição política em Penedo e teve papel decisivo nas duas eleições de Marcius Beltrão. Além disso, deve contar a seu favor com o apoio do governador Renan Filho (MDB) e do senador Renan Calheiros (MDB), com quem mantém relação próxima há muitos anos.

Ronaldo Lopes vai disputar prefeitura de Penedo

Alvo de 2a denúncia em 15 dias, prefeito pode ser cassado nas próximas semanas
   13 de junho de 2019   │     21:59  │  0

Nesta quinta-feira, 13, a Câmara de Vereadores da terceira maior cidade de Alagoas em população (74,5 mil habitantes), decidiu aceitar a segunda denúncia formalizada contra o prefeito do município, Gilberto Gonçalves (PP).

Esta é a segunda investigação aberta no Legislativo em 15 dias. A primeira foi aceita no último dia 30 de maio. O prefeito é acusado de improbidade administrativa.

Hoje a Câmara de Vereadores de Rio Largo aceitou as denúncias apresentadas por Helder Cavalcante de Moura contra Gilberto Gonçalves (PP). Durante sessão ordinária, os parlamentares aprovaram a criação de uma Comissão Processante (CP), para investigar entre outros supostos crimes, a aquisição de um imóvel em nome da sua filha menor de idade ( 14 anos), como ‘laranja’.

Nesse segundo processo, o prefeito é acusado de crimes de responsabilidade e atos de improbidade administrativa, a partir de um dossiê com diversas denúncias que foi entregue aos vereadores não última terça-feira.

O primeiro processo contra Gilberto Gonçalves já está em andamento. A Comissão Especial Processante de Investigação (CEI) criada pela Câmara Municipal da cidade terá no mínimo 30 e no máximo 90 dias para apresentar suas conclusões.

Neste processo, Gilberto Gonçalves é acusado de utilizar viaturas oficiais da prefeitura, além de funcionários municipais, para transportar animais abatidos para a sua empresa particular.

Vereadores do município avaliam que o processo pode ser concluído antes dos 90 dias. “O prefeito terá amplo direito à defesa, as testemunhas serão convidadas a depor e os documentos serão analisados. Mas como esse é um caso com muitas provas já apresentadas, acreditamos que a CEI deverá tomar uma decisão antes mesmo dos 90 dias”, aponta um vereador do município. “Nas próximas semanas a a CEI deve apresentar já uma decisão final, que será submetida ao plenário”, emenda.

Atualmente, Gilberto Gonçalves tem dificuldades de relacionamento com os vereadores. O primeiro pedido de investigação, assim como o segundo, aprovado nesta quinta-feira, teve 9 dos 11 votos possíveis na Casa.

Saiba mais

Câmara de Rio Largo abre CEI para investigar denúncias contra Gilberto Gonçalves

“Senado derrotou um item da agenda da morte de Bolsonaro”, diz Renan
   12 de junho de 2019   │     20:20  │  1

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) rejeitou, por 15 votos a 9, o parecer do senador Marcos do Val (Cidadania-ES), favorável ao decreto das armas do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Os três senadores alagoanos, Renan Calheiros (MDB), Rodrigo Cunha (PSDB) e Renilde Bulhões (PROS) votaram favoravelmente aos decretos legislativos tornando sem efeito o decreto, do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que flexibiliza o porte de armas no Brasil.

Agora os decretos aprovados hoje serão apreciados em regime de urgência no plenário.

Durante votação na CCJ, o senador Renan Calheiros disse que “nunca imaginei pleno Século 21 estar lutando com vários senadores para proteger direitos inalienáveis”.

Após a decisão da CCJ, nesta quarta-feira (12), que aprovou o projeto de decreto legislativo (PDL) sustando os efeitos do decreto do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que flexibiliza o acesso às armas de fogo, Renan Calheiros usou as redes sociais para repercutir a notícia.

“A CCJ derrotou um item da agenda da morte de Bolsonaro que liberou o uso de armas. É o Senado exercendo seu papel e independência”, escreveu o senador no Twitter.

Renan Calheiros também divulgou vídeo em que afirma que os decretos do Executivo não são intocáveis: “são ilegais, inconstitucionais, engordam, desmerecem a vida, mudam regras de trânsito irresponsavelmente quer liberar armas, dar ordens para matar”.

Veja o vídeo:

Moro e Dallagnol precisam ser investigados por “conspiração”, diz senador
   10 de junho de 2019   │     17:01  │  4

O senador Renan Calheiros (MDB) utilizou sua conta no Twitter nesta segunda-feira, 10, para repercutir o vazamento de diálogos entre o ex-juiz Sérgio Moro e integrantes da força tarefa da Lava Jato, tratados como “conspiração” pelo parlamentar.

Renan afirmou que o conteúdo das conversas privadas entre o então juiz Sérgio Moro e o procurador federal Deltan Dallagnol, divulgado pelo The Intercept Brasil nesse domingo, demonstra uma “conspiração de juízes e procuradores da Lava-Jato em nome de projeto de poder, com danos irreversíveis à democracia, economia e reputações”.

O senador afirmou ainda “não foi por falta de aviso” e lembrou que já havia ingressado no Conselho Nacional do Ministério Público pedindo a investigação de Dallagnol.

O senador defendem a investigação do atual ministro da Justiça. E só ele. Renan quer que sejam investigados também a juíza Gabriela Hardt, os procuradores Dallagnol, Rodrigo Janot e outros.

Mais uma vez o senador defendeu a necessidade de aprovação da Lei de Abuso de Autoridade.

Veja o twitter de Renan:

1) Conspiração de juízes e procuradores da Lava-Jato em nome de projeto de poder, com danos irreversíveis à democracia, economia e reputações. Não foi por falta de aviso. Já havíamos alertado e entramos no 2)… @cnmp_oficial porque os sinais eram claros. @deltanmd, @SF_Moro, @Rodrigo_Janot, Müller, Anselmo, Carlos Fernando, Gabriela Hardt…precisamos investigá-los e aprovar a Lei de Abuso de Autoridade.

Senador Renan pede investigação contra Sérgio Moro e Dallagnol

Saiba mais

Veja aqui texto do UOL sobre o caso:

Material ainda não revelado reforça interferência de Moro, diz jornalista

Um dos autores da série de reportagens iniciada ontem pelo site The Intercept Brasil, que mostra como trocas de mensagens entre o então juiz federal Sergio Moro e a força-tarefa da Lava Jato podem ter ditado os rumos das eleições no país, o jornalista norte-americano Glenn Greenwald disse em entrevista hoje ao UOL que ainda possui um grande volume de dados não publicados que reforçariam a atuação indevida do ex-magistrado para influenciar em prisões e guiar a opinião pública.

Greenwald –que também é um dos fundadores do site– diz que o volume de material obtido por ele neste caso supera o da principal reportagem de sua carreira, que comprovou, em parceria com o ex-agente da CIA e da NSA Edward Snowden, no ano de 2013, o monitoramento indevido de informações privadas em massa pelos serviços de inteligência dos Estados Unidos.

Leia aqui na íntegra: Material ainda não revelado reforça interferência de Moro, diz jornalista

 

Veja aqui as revelações do Intercept Brasil: 

‘NÃO É MUITO TEMPO SEM OPERAÇÃO?’

Exclusivo: chats privados revelam colaboração proibida de Sergio Moro com Deltan Dallagnol na Lava Jato

‘MAFIOSOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!’

Exclusivo: Procuradores da Lava Jato tramaram em segredo para impedir entrevista de Lula antes das eleições por medo de que ajudasse a ‘eleger o Haddad’