Davi Davino Filho pode ser candidato a federal, desde que….
   20 de janeiro de 2021   │     23:47  │  0

Surpresa da eleição em Maceió, Davi Davino Filho mergulhou – literalmente. Desde novembro, o deputado estadual tem evitado os holofotes, mas segue bem articulado nos bastidores e prepara projetos para reforçar sua atuação na política este ano.

O deputado já avisou aos aliados e amigos mais próximos que topa qualquer projeto para 2022, desde que em alinhamento com o grupo do qual faz parte.

Davi só não topa ficar fora da eleição de 2022. E se não for convocado para disputar um mandato de deputado federal ou mesmo um cargo majoritário, já avisou que vai para a reeleição.

A pesquisa divulgada essa semana pelo Instituto Falpe, em que Davi aparece com 32% na preferência do eleitorado da grande Maceió como candidato a governador não parece ter despertado nenhuma pretensão no deputado.

Ele reafirmou a aliados que só tomará qualquer decisão depois de ouvir seu, incluindo, claro, o presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas, o deputado Marcelo Victor (SD) e o líder do PP na Câmara dos Deputados, Arthur Lira.

Neste momento – anote aí – o projeto que mais anima Davi Davino Filho é disputar uma vaga de deputado federal. Mas ele só irá para a disputa se for possível fazer uma composição com todos seus aliados – incluindo aí o deputado federal Severino Pessoa (Republicanos).

Apesar de toda a popularidade, o deputado parece ter mantido os pés no chão depois da eleição e pelo jeito deve continuar assim até 2022.

COMENTÁRIOS 0

Governo de AL tem R$ 3,5 bi para investimentos em 2021
     │     21:58  │  0

Nos bastidores as especulações sobre o volume de recursos que o governo de Alagoas tem em caixa para fazer investimentos este ano é maior a cada dia. Os “chutes” vão de R$ 4 bilhões a R$ 7 bilhões. Informações de vários interlocutores garantem que o Estado tem de R$ 5 bi a R$ 6 bi já assegurados para tocar obras e outras ações, afora folha de pessoal e custeio até 2022.

E ao que parece não são meras especulações. O Orçamento do Estado para 2021, sancionada pelo governador Renan Filho na terça-feira (19), estima quase R$ 3,5 bilhões destinados exclusivamente a investimentos

A receita bruta estimada nos Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social é de R$ 15,17 bilhões. Com desconto de transferências constitucionais (ICMS e IPVA dos municípios) e repasses para a previdência (a diferença que é usada para cobrir o ‘rombo’ do AL Previdência), a receita líquida será de aproximadamente R$ 11,7 bilhões para o exercício financeiro do ano. É desse total que

sairão os quase R$ 3,5 bilhões de investimentos, o equivalente a cerca de 30% do orçamento.

De acordo com o governo, o valor de investimentos da Lei Orçamentária Anual (LOA) de Alagoas é o maior percentual entre todos os estados brasileiros, com o maior investimento per capita do país, acima de R$ 1 mil por pessoa. De acordo com o secretário do Planejamento e Gestão e Patrimônio iniciar o ano com um caixa bem estruturado “só foi possível graças ao intenso trabalho fiscal e ao equilíbrio das contas públicas nos últimos anos.”

“Mesmo com a crise, 2021 será um período onde ainda mais projetos poderão sair do papel para beneficiar a população. Cerca de 30% do nosso orçamento será direcionado a investimentos, algo que não se vê em outros estados e que é fruto de um trabalho sério e de um esforço de toda a equipe técnica”, afirma Fabrício Marques.

Conferindo

O texto publicado no Diário Oficial do Estado de Alagoas não tem os anexos com receitas estimadas ou despesas por órgãos, o que dificulta a conferência dos cados divulgados pela Agência Alagoas. Assim que tiver acesso as informações completas, detalho melhor os números.

Veja aqui na íntegra o texto sancionada pelo governador da LOA 2021

Saiba mais: Governo de Alagoas garante R$ 3,5 bilhões para investimentos em novos projetos este ano

 

COMENTÁRIOS 0

Renan pede a Renan Filho concurso para técnicos agrários na Emater
     │     17:09  │  0

O senador Renan Calheiros (MDB) defendeu a realização de concurso público para o setor público agrícola do Estado. Com defasagem de pessoal, Emater e Secretaria de Agricultura tem dificuldades de levar a assistência técnica principalmente para os pequenos produtores.

O problema é antigo. E se só agrava. A cada ano, mais servidores se aposentam. O efetivo de estatutários é mínimo. Seagri e Emater são tocadas principalmente por comissionados, estagiários ou bolsistas.

O governador Renan Filho anunciou, para este ano, a realização de concurso para 4,75 mil vagas. Pela previsão serão 1.060 vagas para a PM (1.000 para soldado combatente e 60 para oficial combatente); 170 para o CBMAL (150 para soldado combatente e 20 para oficial combatente).

A Seduc ofertará 3.000 vagas para o cargo de professor. Já o concurso para a PC destinará 500 vagas (368 para agente e 132 para escrivão). A PGE oferecerá 15 vagas destinadas ao cargo de Procurador do Estado.

Após o anúncio da contratação de empresas para a realização dos concursos, o senador Renan Calheiros foi ao Twitter defender a contratação de pessoal para a Emater.

“Solicitei ao governador Renan Filho que, dentro do planejamento e do orçamento, sejam abertas 100 vagas para técnicos agrários na Emater, um setor essencial para tracionar a economia”, disse Renan.

Saiba mais: Governo autoriza contratação de empresas para cinco concursos com 4.745 vagas

 

COMENTÁRIOS 0

Pesquisa aponta favoritos para o Senado, Câmara e Assembleia Legislativa
   19 de janeiro de 2021   │     23:58  │  1

Pesquisa do Instituto Falpe divulgada nessa terça-feira (19) repercutiu fortemente nos bastidores políticos de Alagoas. O levantamento foi realizado entre os dias 7 e 16 de janeiro com 3 mil entrevistados na grande Maceió.

A sondagem traz um panorama da avaliação dos governos federal e estadual e das intenções de votos para as eleições de 2022, para todos os cargos eletivos.

O levantamento divulgado pelo Cada Minuto, tem margem de erro de 3,5% para mais ou para menos, ouviu moradores de Maceió, Messias, Rio Largo, Satuba, Pilar, Santa Luzia do Norte, Coqueiro Seco, Barra de Santo Antônio, Paripueira, Marechal Deodoro e Barra de São Miguel.

Governo

Na questão estimulada para governador, o deputado Davi Davino Filho tem 32%; Rui Palmeira, vem em seguida, com 15,5%; o senador Rodrigo Cunha obteve 12%. Antônio Albuquerque tem 3%; Ricardo Barbosa 0,75%; o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Victor 0,5%; Josan Leite 0,5%; Nenhum 18% e Não opinaram (17,75%).

Em rejeição (dos nomes citados, em quem você não votaria para governador), Rui Palmeira teve 15%; Antônio Albuquerque (12%); Davi Davino Filho (5%); Rodrigo Cunha (4,5%); Marcelo Victor e Ricardo Barbosa (3% cada); Josan Leite (1,75%); Nenhum (18%); e Não opinaram, 37,75%.

Senado

A pesquisa também sondou a opinião do eleitor para o Senado. Na estimulada (“Desses nomes citados, em quem você votaria para senador?”), Renan Filho obteve 24,5% das intenções de votos; o senador Fernando Collor ficou com 24%; e o deputado federal Arthur Lira, com 7,5%. Nenhum (23%); e Não opinaram (21%).

Quando o questionamento foi em quem você não votaria para senador, Arthur Lira aparece com 14%; Fernando Collor (8,5%); Renan Filho (7%); Nenhum (23%) e Não opinaram (47,5%).

Câmara e Assembleia

O Instituto Falpe também pesquisou a intenção de votos para deputado estadual e deputado federal, apenas na questão espontânea “Se as eleições fossem hoje, em quem você votaria para deputado federal?”). Nessa questão 78,5% dos entrevistados não apontaram o nome de nenhum candidato a deputado federal.

Dos que responderam, o deputado federal Sérgio Toledo teve 4,5% das citações, seguido de Marx Beltrão (4%); João Caldas (3%); Renato Rezende Filho (2,5%); Nivaldo Albuquerque (2,5%); Isnaldo Bulhões (1,5%); Santana Mariano (0,5%); Cacau Filho (0,25%); Rosinha da Adefal (0,25%); Olívia Tenório (0,25%); Alay Paranhos (0,25%); Renan Filho (0,25%); Lobão (0,25%); Kelmann Vieira (0,25%); Paulão (0,25%); Tereza Nelma (0,25%); André Janones (0,25%); Maurício Quintella (0,25%) e Givaldo Carimbão (0,25%).

Para deputado estadual, 74,75% dos entrevistados não apontaram nenhum nome. Entre os citados, Fátima Canuto teve 5%; Cibele Moura (2,75%), Flávia Cavalcante (2,5%); Jarbinhas (2,5%); Cícero Filho (2%); Dudu Ronalsa (1,5%); Luiz Pedro (1,5%); Francisco Tenório (1%); Léo Loureiro (0,75%); Ângela Garrote (0,5%); Antônio Albuquerque (0,5%) e Gilberto Gonçalves (0,5%).

Os demais citados aparecem com 0,25% cada: Cabo Bebeto; Cacau; Ricardo Nezinho; Paulo Dantas; Marcos Madeira; Carimbão; Davi Davino (vereador); Marcos Barbosa; Thales Diniz; Henrique Vilela; Aparecida do Luiz Pedro; Lobão; Francisco Sales; Kelmann Vieira; Fernando Holanda; Hugo Wanderley e Márcia Vilela.

Governos federal e estadual

O Falpe também sondou a opinião do eleitor sobre os governos do presidente da república e e do governador do Estado: 41% responderam que aprovam; 42% que não aprovam e 17% não opinaram a administração de Jair Bolsonaro.

O resultado da mesma pergunta em relação à administração do governador Renan Filho à frente do Governo de Alagoas foi: 58% aprovam; 24% desaprovam; e 18% não opinaram.

COMENTÁRIOS 1

Turismo de Alagoas lidera no Nordeste e fica atrás apenas de RJ e São Paulo
     │     23:42  │  0

Em meio a pandemia, o turismo de Alagoas se consolida como um dos mais importantes negócios para a economia do Estado. O destino que já é um dos mais procurados da CVC, uma das maiores operadoras do setor no país, fechou 2020 como o primeiro do Nordeste e o terceiro no país no ranking da Decolar.

A informação foi compartilhada pela empresa, a maior operadora de turismo digital da América Latina, nesta terça-feira (19).

Com a posição, Maceió “desbanca” concorrentes diretos como Fortaleza (CE), Natal (RN) e Porto de Galinhas (PE) e assume a liderança do mercado nacional no Nordeste, crescendo duas posições em relação ao mesmo ranking de 2019, quando esteve na quinta colocação. Em 2020, o primeiro lugar no mercado nacional foi do Rio de Janeiro (RJ), seguido de São Paulo (SP).

Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, a conquista é fruto de um intenso trabalho de promoção e fortalecimento do Destino Alagoas como um todo.

“A Decolar, assim como outros grandes players do setor, é uma grande parceira do governo do Estado, tocando campanhas e ações em prol do destino durante todo o ano que, certamente, foram essenciais para essa importante conquista. Seguiremos em 2021 trabalhando com afinco na consolidação do turismo como grande celeiro de emprego, renda e oportunidade para o povo alagoano”, ressalta Rafael Brito.

Saiba mais: Secretário Rafael Brito comemora liderança do Destino no ranking de vendas da Decolar

 

COMENTÁRIOS 0