PT amplia espaço no governo e deve fazer, com a federação, 3 estaduais e 2 federais
   17 de maio de 2022   │     22:41  │  2

O Partido dos Trabalhadores ampliou o espaço no governo de Alagoas. Com Paulo Dantas, além de manter Maria José na Secretaria da Mulher e Direitos Humanos, indicou Gino César para a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídrico.

Com o espaço ampliado no governo e no embalo da campanha do pré-candidato a presidente Lula, o PT espera também dobrar de tamanho na Assembleia Legislativa de Alagoas, elegendo até dois deputados pelo partido e pelo menos mais uma pela Federação com PV e PCdoB.

Entre os nomes que despontam na disputa por uma das vagas estão os atuais deputados estaduais Ronaldo Medeiros, Sílvio Camelo, o ex-deputado Judson Cabral, Basile Christopoulos, Cícero Filho, Dr Walmir e Marcos Ferreira e vários outros nomes – que irei revelar aqui em breve.

Para o deputado federal Paulão (PT), o partido pode fazer de um a dois, dependendo do desempenho da Federação, que ele acredita que fará três.

“A projeção que a gente está fazendo em relação a estaduais é retomar o número que a gente teve em média dois, mas já chegamos a ter três estaduais, Judson Cabral , Marquinhos Madeira e Ronaldo Medeiros”, aponta.

Segundo Paulão “é possível sim a gente ter três deputados estaduais, isso com a federação. Acho possível, o PT eleger dois deputados estaduais ou no caso o PCdoB eleger um, o PT um e o PV um. Esse é o cenário”, avalia.

Em relação a eleição federal, Paulão avalia que a federação fará dois: “acredito que poderemos eleger dois federais, a minha candidatura e a do Sérgio Toledo”, pondera.

Governo

A relação com o governo ficou mais próximo, segundo do deputado federal, depois da posse de Paulo Dantas.

“Quanto ao processo de relação com Paulo Dantas realmente houve uma ampliação. O diálogo é muito bom. O Paulo Dantas tem sido uma pessoa muito serena, ampliou o espaço do Partido dos Trabalhadores em relação ao governo anterior, isso de qualquer forma contribui para o fortalecimento do próprio governo com os quadros que a gente está mantendo e colocando novo quadro que é o Gino. Isso sem dúvidas nenhuma fortalece o Partido dos Trabalhadores”, aponta.

Comentários 2

“Renan Calheiros pode virar o homem de Lula no Congresso”
     │     19:38  │  1

Com Jair Bolsonaro (PL) na Presidência, o senador Renan Calheiros “foi parar na oposição” e “agora, se prepara para voltar ao centro do poder, desta vez de mãos dadas com Luiz Inácio Lula da Silva (PT)”.

A informação é da coluna Maquiavel, da revista Veja. “Senador, que venceu disputa acalorada em Alagoas com Arthur Lira, seu rival por poder em Brasília, é um dos articuladores do petista na eleição presidencial”, avalia a revista.

De acordo com a coluna, Renan Calheiros deve ter papel destacado na articulação da campanha de Lula a presidência, devendo ocupar espaço importante no Congresso Nacional a partir de 2023.

Leia alguns trechos da coluna:

“Com Jair Bolsonaro (PL) na Presidência, Renan foi parar na oposição, teve que desistir de uma quinta eleição para a presidência do Senado por falta de perspectiva de vitória, mas continuou tendo protagonismo, principalmente como relator da CPI da Pandemia.

Agora, se prepara para voltar ao centro do poder, desta vez de mãos dadas com Luiz Inácio Lula da Silva (PT), de quem já foi aliado durante os anos do petismo no poder – mesmo com Dilma Rousseff, votou pelo impeachment, mas, como presidente do Senado, articulou para preservar os direitos políticos da ex-presidente.

Renan tem atuado nos bastidores para atrair apoios para a candidatura de Lula. Defensor entusiasmado da candidatura do petista, já procurou o ex-presidente Michel Temer e o ex-ministro Gilberto Kassab para tentar arrastar o MDB e o PSD para a aliança em torno de Lula ainda no primeiro turno.”
Leia aqui na íntegra: Como Renan Calheiros pode virar o homem de Lula no Congresso

Comentários 1

Governo não fará nenhuma “investigação” da gestão de Klever Loureiro “governistas”
     │     19:10  │  0

Não há nenhuma investigação sobre o período em que o desembargador e presidente do TJ/AL Klever Loureiro respondeu interinamente pelo governo.

Um importante interlocutor do Palácio dos Palmares avisa que não será passado nenhum “pente fino”.

“Essa informação, de que o governo fará pente fino nos atos do desembargado é mentira”, reforça o interlocutor.

A “judicialização”, que atrasou em 15 dias a eleição de Paulo Dantas para o governo, é considerada página virada. O novo governador está focado em tomar pé da situação e manter a máquina funcionando plenamente.

O clima entre os poderes, especialmente entre Executivo e Legislativo, é de pacificação, não de guerra.

De volta a secretário da Fazenda, George Santoro, exonerado por Loureiro, também tem trabalho para tomar pé da situação e já avisou a sua equipe que está “olhando para frente”.

Comentários 0

“Você pode até não saber…”: Rodrigo Cunha bota a campanha na rua
   16 de maio de 2022   │     23:00  │  4

O senador Rodrigo Cunha (União Brasil) resolveu partir para a ofensiva – literalmente – na defesa do trabalho que realiza como parlamentar em Brasília.

Em mídia nos principais veículos de comunicação, faz ao mesmo tempo campanha de prestação de contas do seu mandato e para fortalecer seu nome em grandes centros eleitorais, a exemplo de Maceió.

Pode ter sido coincidência ou não. Mas um dia antes Paulo Dantas (MDB) assumir o governo, vários outdoors foram espalhados pelas ruas das cidades alagoanas trazendo informações do que seria uma prestação de contas do mandato do senador.

Com o ‘mote’, “Você pode até não saber, mas o TRABALHO do Rodrigo você vê”, o senador informa que trouxe R$ 228 milhões em investimentos para todos os 102 municípios de Alagoas.

Em outro cartaz com o mesmo ‘mote’, Rodrigo Cunha aparece ao lado de João Henrique Caldas, com a frase de que é “o senador parceiro de Maceió e JHC”.

Ante as críticas de que o senador não trouxe recursos ou realiza um mandato abaixo das expectativas, o argumento era de Rodrigo trabalhou, mas faltava “divulgar” suas ações.

As peças publicitárias são assinadas por uma frase que promete se transformar em ação de campanha: “Rodrigo Cunha, trabalho que você vê”.

A ofensiva em Maceió e outras grandes cidades é parte da estratégia do marketing eleitoral para consolidar a imagem do senador, especialmente no momento em que seus principais adversários – Rui Palmeira (PSD) e Paulo Dantas – começam a ganhar mais visibilidade.

Será, de fato uma disputa acirrada. O que está em jogo, agora, é uma vaga no segundo turno. Mas essa é outra história.

Comentários 4

Zé Wanderley mantém candidatura de estadual, mas pode ir a reeleição de vice; entenda
     │     20:45  │  0

Pré-candidato a deputado estadual, o médico José Wanderley Neto foi eleito ontem vice-governador do Estado, na chapa do deputado estadual Paulo Dantas.

Um dia depois das fotos da posse, Dr Wanderley se apressou em avisar que segue o projeto inicial e mantém a pré-campanha para conquistar vaga Assembleia Legislativa de Alagoas.

É uma sinalização clara do médico que é conhecido na política pela adição. Um recado que ele não será obstáculo para a ampliação da chapa de Paulo Dantas mais à frente.

Até as convenções novas composições podem surgir. E nesse caso o grupo pode “precisar” da vaga de vice na chapa que vai concorrer à reeleição em outubro.

Foi assim em 2010. Zé Wanderley era o vice de Téo Vilela, mas não foi a reeleição. Não foi por questões alheias as vontades dos dois, que fique claro.

Mais uma vez José Wanderley Neto deixa claro que cumprirá seu papel. E ao manter sua pré-candidatura, deixa Paulo Dantas à vontade.

Ele antecipou a informação a Wadson Régis hoje pela manhã: “Uma satisfação colaborar com o Paulo Dantas nesse processo. Acredito na capacidade dele, de dar continuidade aos avanços do governo de Renan Filho, mas mantenho o projeto de disputar uma das vagas de deputado estadual, como forma de manter minha militância na luta pelo fortalecimento da política pública de saúde no estado”, explicou Wanderley ao jornalista.

Conversei com o vice-governador depois disso. Ele não está abrindo mão de disputar a reeleição de vice-governador, mas também não quer ser um problema na hora de possíveis composições. E avisa que essa questão “tem que ser tratada no momento apropriado que é a convenção”. Ou seja, até lá, o vice segue como pré-candidato a deputado estadual, somando com Paulo Dantas no que for necessário.

Só não poderá ocupar a cadeira de governador antes de 2 de outubro, senão ficará inelegível para disputar qualquer outro cargo – exceto o de vice.

Comentários 0