Category Archives: Agronegócios

Queda no preço da cana pode “quebrar” fornecedor, alerta Asplana
   26 de outubro de 2022   │     18:27  │  0

A safra de cana-de-açúcar 2022/2023 começou com expectativa de alta na produção em Alagoas. A estimativa inicial do Sindaçúcar-AL e da Asplana é que a moagem passe de 19,5 milhões de toneladas, o que se confirmado representará crescimento de 7% em relação ao ciclo anterior (18,2 milhões de toneladas).

Apesar da estimativa inicial, o começo da atual safra de cana em Alagoas é considerado um dos piores da história para os fornecedores de cana alagoano.

A diretoria da Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas, que representa mais de 7 mil fornecedores do Estado, fez reunião nessa segunda-feira (24/10) para avaliar os dados do início de safra.

A queda no valor do ATR (Açúcar Total Recuperável), que oscilou -10% em setembro, para R$ 1,1492 por kg, é considerada como agravante da situação. A manutenção do ATR valor baixo pode levar o fornecedor para uma crise financeira sem precedentes, alerta Edgar Filho, presidente da Asplana.

“O preço da tonelada cana está muito ruim, menor do que o registrado na safra passada. Além disso, a cana não desenvolveu bem no campo. Com o excesso de chuvas, a falta de luminosidade e pragas como a cigarrinha, a cana planta não está dando produtividade esperada”, aponta.

Edgar Filho explica que na região canavieira do norte de Alagoas, onde as chuvas normalmente são mais intensas, a produtividade cana por hectare (TCH) caiu de uma média de 60 toneladas na safra 21/22 para 54 toneladas na safra 22/23.

“Além da queda do valor da ATR, estamos enfrentando um ATR ruim no campo (quantidade de ATR por tonelada de cana). Isso somado a queda de TCH (redução de produtividade) tem feito com que o fornecedor que recebeu em média R$ 160 por tonelada na safra anterior, esteja recebendo agora bem bem menos, em alguns entre R$ 100 e R$ 115”, explica Edgar.

Segundo o presidente da Aspana, o preço da tonelada cana padrão em Alagoas (114 kg de ATR), ficou em R$ 131 em setembro. “Depois que é descontado do fornecedor o CCT (Custo de Carregamento e Transporte) pela usina, o valor para muitos fornecedores fica em R$ 100 por tonelada. Com o aumento dos insumos, a exemplo do diesel e do adubo, esse valor torna a atividade inviável. Se continuar assim, o fornecedor vai quebrar”, alerta Edgar Filho.

Em reunião, diretores da Asplana avaliam queda do valor do ATR em Alagoas

Versão oficial

Veja texto da assessoria da Asplana

Preço baixo da cana ameaça fornecedores de Alagoas

Preocupados com o preço da cana em Alagoas, fornecedores do estado se reuniram, na manhã desta segunda-feira, 24, na sede da Asplana, para discutir o problema que vem gerando prejuízos a categoria e pode inviabilizar a produção. Neste sentido, os produtores esperam que no próximo ATR, que deve ser divulgado até o dia 28 e que diz respeito a outubro, se reflita a realidade atual da comercialização do açúcar, em especial, do VHP.

Segundo os fornecedores, o ATR passado, referente a setembro, não retratou o cenário de comercializado de açúcar em Alagoas, entrando apenas a produção de etanol.

De acordo com o presidente da Asplana, Edgar Filho, como em setembro não houve a venda do açúcar, o preço do produto ficou muito aquém do que está sendo praticado pelas usinas atualmente.

“A cana do fornecedor está muito mais barata se comparada com a comercialização, principalmente do açúcar VHP que corresponde a 46% do nosso mix. A reclamação dos fornecedores – com o receio de que o ATR do mês de outubro não suba – vem do surgimento de uma situação financeiramente inviável. As contas não estão fechando. É uma situação que está deixando todo muito preocupado. Da forma que está, fica impraticável. Há risco de uma quebradeira geral dos fornecedores de cana de Alagoas. Mas, se houver esse aumento, esperamos poder pelo menos pagar ou cobrir, empatando com os nossos custos. Está sendo um ano, realmente, muito complicado”, afirmou Edgar.

O dirigente dos fornecedores alertou ainda para a alta dos insumos neste processo. “Os preços do adubo e do herbicida estão altos, além de óleo diesel. O valor do salário mínimo no campo e da mão de obra subiram. Sem falar que o ATR do campo, este ano, também não está boa. Com isso tudo acontecendo, as contas para os fornecedores de cana não estão fechando”, finalizou preocupado.

Com um “pé na política”, Barreto inova e faz primeiro leilão Brahman em AL
   13 de setembro de 2022   │     12:42  │  0

O empresário Ricardo Barreto, o “Ricardo da Coagro” sempre teve um gosto pela política. Tanto que chegou a disputar eleições como candidato a vice-prefeito de Arapiraca, teve o nome especulado para outras campanhas, mas decidiu seguir seu trabalho no setor produtivo.

Barreto continua com muitos amigos na política, mas focado nos negócios. Além de manter o Grupo Coagro, que chega aos 30 anos, como um dos maiores do segmento no Nordeste, Ricardo é um selecionador reconhecido na raça nelore e decidiu inovar na seleção da raça Brahman, negócio tocado pela RB Agropecuária.

De origem norte-americana, a raça zebuína Brahman é a mais difundida em todo o mundo e vai muito bem em cruzamentos com nelore, o zebu preferido do pecuarista brasileiro, ou no cruzamento industrial tricoss (em F1 de angus).

Pioneiro na seleção de brahman em Alagoas, Barreto dá um passo importante para o seu negócio e para o agronegócio do Estado. Ele vai realizar nesta quarta-feira (14/09) o primeiro leilão Brahman, com a oferta de animais – garantem vários especialistas – que tem o melhor da genética da raça no mundo.

Ricardo Barreto, da RB Agropecuária e Grupo Coagro (Foto: divulgação)

Touros Brahman durante apresentação de animais no dia de campo da RB Agropecuária

O leilão

O remate (veja abaixo) será realizado  no Centro de Convenções de Maceió, durante o Enconter, com transmissão ao vivo pela Agreste Leilões : http://www.agresteleiloes.com.br

O leilão será nesta quarta-feira (14), às 19h durante o Encorte. a RB Agropecuária realiza o 1º Leilão Brahman Nelore, que terá transmissão ao vivo pelo site da Agreste Leilões. Serão ofertados animais de cabeceira da fazenda Novo Horizonte, escolhidos à dedo, sendo 17 touros brahman PO, 3 nelore PO e 100 novilhas brahman PO entre 12 e 16 meses, todas com prenhez confirmada.

Versão oficial

Veja texto da assessoria sobre a apresentação de animais do leilão

Em evento prestigiado por criadores e políticos, pecuarista apresenta rebanho Brahman de AL

Empresário renomado do setor agropecuário, o engenheiro agrônomo Ricardo Barreto recebeu neste sábado (10) criadores e a classe política do estado para o Dia de Campo da RB Agropecuária, na fazenda Novo Horizonte, no município de São Sebastião. Foram mais de 200 pessoas no evento, que apresentou palestras técnicas sobre produtividade, rendimento e nutrição para o gado, além de estratégias de produção à campo.

O evento foi prestigiado por criadores renomados de Alagoas e de Sergipe. Ricardo também recebeu políticos da região, e exemplo do prefeito de Junqueiro Leadro Silva e o prefeito de São Sebastião José Pacheco Filho. “Foi um evento importante de retomada para receber os amigos e aproveitar para trazer informação e falar sobre novas tecnologias para o campo”, pontuou Ricardo Barreto.

Fundador do Grupo Coagro, que já tem 30 anos de mercado, Ricardo tem um compromisso com os resultados, tanto na agricultura quanto na pecuária e o que foi apresentado no dia de campo foi o resultado direto em investimentos no setor. “É o compromisso do nosso grupo. Nós trabalhamos com resultados de excelência para o criador. Aqui demos início à primeira criação do rebanho Brahman em Alagoas, um gado altamente produtivo e rentável e apresentamos isso aos nossos amigos”, afirmou Ricardo.

Quem esteve no Dia de Campo também aproveitou para conhecer os animais da raça, que tem se mostrado uma das mais rentáveis da pecuária de corte. A RB Agropecuária deu o pontapé para que o brahman conquistasse terras alagoanas. Pela região, os criadores já começaram a apostar no animal para fazer cruzamento com as raças nelore e angus, chegando a resultados considerados excelentes.

A ideia do grupo é que outros criadores apostem na genética brahman e na próxima quarta-feira (14), às 19h durante o Encorte, a RB Agropecuária realiza o 1º Leilão Brahman Nelore, que terá transmissão ao vivo pelo site da Agreste Leilões. Serão ofertados animais de cabeceira da fazenda Novo Horizonte, escolhidos à dedo, sendo 17 touros brahman PO, 3 nelore PO e 100 novilhas brahman PO entre 12 e 16 meses, todas com prenhez confirmada.

Os animais possuem a melhor genética do disponível no mercado para melhoramento genético ou cruzamento artificial, com genética chancelada pela Associação dos Criadores de Zebu (ABCZ).

A cana no desenvolvimento de AL: Asplana inicia reuniões com pré-candidatos ao governo
   18 de junho de 2022   │     16:00  │  0

Quando o tema é de maior apelo popular, a posição dos pré-candidatos ao governo é praticamente a mesma. Observe. Quando falam em educação, saúde ou segurança, as propostas vão na mesma direção.

Em temas mais específicos, os candidatos revelam de forma mais nítida suas diferenças. Questões como identidade de gênero, aborto e uso de armas normalmente ajudam a demarcar as posições de cada um.

No caso de Alagoas, o agro e, em especial, o setor sucroenergético também são divisores de águas nas posições dos candidatos. A diferença por aqui, é que apesar de visões diferentes de mundo – esquerda, centro ou direita  – a cadeia produtiva da cana-de-açúcar segue como uma das atividades mais importantes de nossa economia.

Os principais pré-candidatos ao governo de Alagoas terão propostas específicas para o setor canavieiro, atividade que gera mais de 60 mil empregos diretos em Alagoas, responsável por mais de 10% do PIB do  Estado.

A Asplana vai ouvir o que os pré-candidatos pensam e propõe para o setor em Alagoas. As visitas começam nesta segunda-feira (20/06). O primeiro a conversar com os produtores será o senador Rodrigo Cunha (União Brasil). Fernando Collor, Rui Palmeira e Paulo Dantas também devem ir até a sede da associação nos próximos dias.

“Vamos ouvir os candidatos, saber o que eles pensam. Esperamos que eles apresentem propostas de fortalecimento de nossa atividade, em especial ações voltadas para os mais de 5 mil pequenos fornecedores de cana do Estado que trabalham em regime de agricultura familiar”, aponta Edgar Filho, presidente da Asplana.

Edgar Filho presidente da Asplana – Foto: assessoria

Versão oficial

Veja texto da assessoria

Asplana inicia série de reuniões com pré-candidatos ao governo de AL

A Associação dos Plantadores de Cana do Estado de Alagoas – Asplana recebe, a partir da próxima segunda-feira, 20, uma série de visitas de pré-candidatos ao governo do Estado para a apresentação de projetos voltados ao setor sucroenergético alagoano.

As reuniões, realizadas no auditório da entidade sempre as segunda-feira, no bairro de Jaraguá, em Maceió, serão abertas pelo senador e pré-candidato ao governo, Rodrigo Cunha.
De acordo com a diretoria da associação, de acordo com o calendário, no dia 27 de junho, será a vez do ex-prefeito de Maceió e pré-candidato ao governo, Rui Palmeira.

“É um momento para debate, onde vamos escutar propostas e tiramos nossas dúvidas, além de colocarmos as necessidades inerentes ao segmento canavieiro. É importante a presença de todos os fornecedores para que possamos saber quais são os compromissos de cada candidato com nosso setor”, declarou o presidente da Asplana, Edgar Filho.

Novo presidente da Adeal vai priorizar diálogo com servidores e setor produtivo
   6 de junho de 2022   │     20:07  │  0

O novo presidente da Adeal, Luciano Barros, é técnico com longa atuação como superintendente da Seagri e foi nomeado pelo governador Paulo Dantas (MDB) por indicação do secretário de Agricultura do Estado, Maykon Beltrão.

Luciano assume com a missão de manter a Adeal funcionando plenamente, além de de priorizar o diálogo interno com servidores da agência e externo com o setor produtivo do Estado .

Nesta terça-feira (07/06), apenas um dia depois da sua posse, o novo presidente da agência terá reunião com o presidente da Federação da Agricultura de Alagoas, Álvaro Almeida.

Barros também vai abrir diálogo com representantes dos servidores. O objetivo, avisa, é fortalecer a agência, que tem papel estratégico para o setor agropecuário, especialmente na emissão do selo de inspeção estadual, emissão de Guias de Trânsito Animal e realização de campanhas contra pragas e doenças que afetam o agro.

Quem é

Natural de Palmeira dos Índios, Luciano Barros é zootecnista e assumiu, nesta segunda-feira (06/06), a presidência da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri). Graduado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e com especialização em piscicultura pela Universidade Federal de Lavras, Luciano Barros ocupava o cargo de superintendente de Inclusão Produtiva da Secretaria de Estado da Agricultura.

“Luciano vai saber guiar bem a Adeal. Vamos seguir avançando em toda Alagoas”, declarou o governador Paulo Dantas em publicação nas redes sociais.

Natural de Palmeira dos Índios, Barros chegou na Seagri em 2008, onde atuou como extensionista, tendo sido diretor de Irrigação e superintendente de Agricultura Familiar, além de superintendente de Aquicultura.

Luciano Barros declarou estar honrado com a escolha do seu nome para a Adeal e que envidará todos os esforços para conduzir o órgão; agradeceu ao governador Paulo Dantas e fez um agradecimento especial ao secretário de Agricultura, Maykon Beltrão.

Era pesadelo, virou sonho: AL ganha primeira fábrica de leite da agricultura familiar
   5 de junho de 2022   │     18:42  │  1

O fechamento da antiga Camila (Cooperativa Agropecuária de Major Isidoro) foi um pesadelo para a bacia leiteira de Alagoas.

A cooperativa que um dia foi Cila, depois Camil e, finalmente Camila, encerrou suas atividades em janeiro de 2009. A crise se agravou após a mudança na gestão da empresa. Uma administração marcada por erros e cercada de denúncias culminou com a falência..

A empresa, sediada em Batalha,  foi responsável durante várias décadas – especialmente no período em a esteve sob o comando de Luiz Dantas – pelo desenvolvimento da bacia leiteira de Alagoas e pelo emprego de milhares de trabalhadores no campo e na indústria.

A região  sentiu negativamente – com redução nos empregos e na renda dos produtores – o impacto do fechamento da única fábrica de leite em pó de Alagoas (que era sediada em Batalha) e de outros negócios da Camila na região.

Do pesadelo, para o sonho. Nesta segunda-feira (06/06) Alagoas vai ganhar a primeira fábrica de laticínios da agricultura familiar.

O antigo parque industrial da Camila foi arrematado em leilão por cooperados da CPLA, há dez anos. E após um intenso processo de investimentos, que contou com recursos do governo de Alagoas, bancada federal do Estado, governo federal e recursos próprios, será a base de um empreendimento arrojado, projetado para atender mais 5 mil pequenos produtores.

No mesmo espaço em que um dia foi a fábrica da Camila, está sendo montada a maior e mais avançada planta de leite em pó do Nordeste e única da agricultura familiar da região, com investimentos que passam dos R$ 40 milhões.

A Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL) da Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA) promete consolidar a participação da agricultura familiar em um dos mais importantes setores da economia de Alagoas – a cadeia produtiva do leite.

A planta, avisa o presidente da cooperativa, Aldemar Monteiro, foi construída para dar suporte à produção de mais de 2 mil cooperados que estão ligado à CPLA atualmente: “com o pleno funcionamento da UBL vamos poder atender mais de 5 mil pequenos produtores e ter uma capacidade instalada de processar mais de 600 mil litros de leite por dia”, aponta

“Esse é um sonho da CPLA e de toda a agricultura familiar, que graças a Deus está se tornando realidade”, afirma Monteiro.

Nesta segunda-feira (06/06) será inaugurada a primeira fase a indústria, que vai operar inicialmente com capacidade de processamento de 100 mil litros, com produção de leite pasteurizado, linha de fermentados, creme de leite e manteiga.

Nesta fase a UBL vai gerar 40 empregos diretos e mais de mil empregos indiretos, beneficiando mais de dois mil pequenos produtores de leite da região da bacia leiteira.

UBL começa a operar a partir desta segunda feiram 06 de junho, em Batalha-AL

Viabilidade

Há cerca de 10 anos, a CPLA lutava para inaugurar a UBL com o objetivo produzir leite pasteurizado, manteiga, fermentados, leite em pó, leite condensado, queijos e doces. A nova unidade foi instalada com recursos do Governo de Alagoas, através de termo de fomento da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura – SEAGRI e contrapartida da CPLA.

O governador Paulo Dantas, que participa da inauguração nesta segunda-feira, assegurou a manutenção de investimentos e liberação de recursos para a indústria e foi decisivo para consolidar o projeto, segundo a diretoria da CPLA.

A Cadeia Produtiva do Leite é a principal atividade econômica em 20 municípios alagoanos. Com um rebanho de cerca de 250 mil vacas, a produção anual supera os 600 milhões litros, tendo a maior produtividade do Nordeste.

Grande parte da produção é da agricultura familiar, segmento que vem recebendo incentivos do governo de Alagoas, através de programas de melhoramento genético, assistência técnica e especialmente do PAA Leite.

Além de atender mais de 100 mil famílias nas cidades, o programa de leite garante inclusão social e produtiva para mais de 3 mil agricultores familiares.

“O programa do leite foi e continua sendo fundamental para a agricultura familiar de Alagoas. Foi esse programa que garantiu renda ao produtor, dando a ele condição de chegar até aqui. O programa precisa continuar. Mas com a UBL, a agricultura familiar ganha uma nova modalidade de comercialização de sua produção e com isso poderá ampliar sua atividade, fortalecendo toda a economia da região”, aponta Aldemar Monteiro.