Category Archives: Economia

AL inova com Secretaria do Cooperativismo, a primeira do Brasil
   16 de janeiro de 2023   │     17:47  │  0

Alagoas é o primeiro Estado do Brasil a dar um tratamento diferenciado ao “setor dos setores” – as  Cooperativas, que estão presentes em todos os segmentos da economia.

A Secretaria Executiva do Cooperativismo, Associativismo e Economia Solidária, criada pelo governador Paulo Dantas (MDB) através da Lei Delegada é considerada um novo marco para o desenvolvimento social e econômico do Estado.

Atualmente, Alagoas tem mais de 200 cooperativas. Juntas, representam mais de 40 mil cooperados, atendem um público de mais de 200 mil pessoas por dia e geram mais de 20 mil empregos diretos, com movimentação de negócios que chegam a 10% do PIB de Alagoas.

Com a criação da Secretaria, o governo vai fortalecer as cooperativas já em atividade e estimular a criação de novas empresas nesse segmento, que tem um modelo de atuação considerado mais justo, com melhores resultados para as pessoas e o meio ambiente.

A Secretaria do Cooperativismo reforça a parceria de Paulo Dantas com o setor, especialmente com a União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária em Alagoas, a Unicafes-AL

“O Paulo é uma aliado do cooperativismo e da agricultura familiar. Como deputado ele sempre atuou em defesa dos dois setores, ajudando a reestruturar e resgatar o Conselho Estadual do Cooperativismo. Como governador, ele fez o primeiro termo de fomento da história do cooperativismo com o governo do Estado, além de ter avançado no cumprimento da lei que determina compra de parte merenda escolar a agricultores familiares e de ter apoiado a primeira Feira Coop, entre outras ações”, aponta Antonino Cardozo, presidente da Unicafes-AL.

Transição

A nova secretaria foi criada a partir do trabalho da Comissão de Transição, coordenada pela secretária Renata Santos (Seplag) e contou com apoio dos demais integrantes, a exemplo de George Santoro (Sefaz), Vítor Pereira (Segov) e Luiza Barreiros (Gabinete Civil).

“Muito importante dá espaço para um segmento tão importante para nossa economia”, apontou Renata, que apresentou a sugestão do novo órgão durante reunião de trabalho entre a comissão e o governador Paulo Dantas, em dezembro de 2022.

Paulo Dantas reforçou o compromisso com o setor. “Acredito muito no cooperativismo. É um modelo que permite, através da cooperação, promover o desenvolvimento de negócios com benefícios para os cooperados e para as comunidades onde eles atuam”, aponta o governador.

Experiência

O secretário Executivo do Cooperativismo escolhido por Paulo Dantas foi um jovem negro, com larga experiência no serviço público e identificado com o cooperativismo. Adalberon Sá Junior, 36, formado em sociologia terá a missão de transformar o novo órgão numa das marcas do governo de Paulo Dantas.

Com experiências em gestão pública (já foi Secrerário da Sepaz, hoje Seprev, e presidente da Emater, além de atuar na gestão municipal em Palmeira dos Índios), Adalberon apresentou sugestões para o “plano de 100 dias”, que incluem o fortalecimento do setor e a criação do programa Alagoas Mais Cooperativa, que vista estimular o cooperativismo como alternativa para o desenvolvimento social e econômico do Estado.

Adalberon Sá Junior, novo secretário Executivo do Cooperativismo (Foto: divulgação)

Versão oficial

Veja texto da assessoria da Unicafes-AL

Secretaria Executiva representa avanço do cooperativismo em AL

O cooperativismo ganha cada vez mais espaço e confiança junto à sociedade.  O setor ,que vem se destacando na economia nacional, deverá ganhar novo fôlego na nova gestão do Governador Paulo Dantas com a criação da Secretaria Executiva do Cooperativismo, Associativismo e Economia Solidária  dentro da estrutura da Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Serviços ( SEICS).

O cargo de secretário executivo foi definido na sexta-feira,13, com a nomeação do  sociólogo e atual Executivo  da União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária de Alagoas (Unicafes-AL), Adalberon Sá Júnior, de 36 anos.

Indicado pelo setor,  Adalberon acumula experiência na gestão pública,  com passagem pela presidência da Emater-AL e como Secretário de Estado da Promoção da Paz- SEPAZ.

Com a  escolha do governador Paulo Dantas,  a Federação Unicafes-AL cede ao Estado um dos grandes nomes de seu quadro técnico em cooperativismo. O presidente da Unicafes-AL, Antonino Cardozo, parabeniza o governador Paulo Dantas pelo compromisso com setor cooperativista.

“O governador sinalizou o seu compromisso a partir da criação do um espaço institucional inédito para o cooperativismo no nosso estado. Com Paulo Dantas o cooperativismo avança, sempre. Foi assim na Assembleia Legislativa com a aprovação do novo Conecoop. Foi assim no primeiro governo com o primeiro termo de fomento, a Feira Coop e a merenda escolar”,  disse o presidente da Unicafes-AL , Antonino Cardozo.

Marco

Pela primeira vez em Alagoas o cooperativismo e o associativismo vão ocupar espaço na estrutura de governo, passando a ser enxergado como instrumento de desenvolvimento econômico e social.  De acordo com o Secretário Executivo nomeado, Adalberon Sá Júnior, o setor cooperativista detém grande capilaridade, com atuação em quase todos os municípios.

“A concretização deste espaço do cooperativismo no governo Estadual tem a marca do compromisso do governador Paulo Dantas que garantiu, lá atrás, que esse setor teria vez e voz na gestão; e que permitiria que o próprio setor ocupasse esse espaço. Um espaço relevante e que  poderá contribuir para a evolução do cooperativismo, associativismo e da economia solidária”,   destacou Adalberon Sá Júnior.

Ao lado da secretária de Estado da Indústria, Comércio e Serviços, Caroline Balbino, Adalberon deve apresentar nos próximos dias os primeiros planos de trabalho para  o setor.
“Após algumas conversas com o governador Paulo Dantas e com a secretária Caroline Balbino, algumas direções já foram apontadas e uma delas se trata  do plano de 100 dias. O objetivo é levantar um diagnóstico com dados gerais  e um mapeamento de atividades.  Esse trabalho inicial também deve contemplar o fortalecimento dos conselhos do cooperativismo e da economia solidária”, enfatizou Adalberon Sá Júnior.

JHC consegue o “impossível” e multiplica por 10 investimentos de Maceió
   13 de janeiro de 2023   │     19:28  │  3

Eleito em 2020, João Henrique Caldas assumiu a prefeitura de Maceió em 2021 depois de passar quatro anos na Assembleia Legislativa de Alagoas e outros seis na Câmara dos Deputados, exercendo mandatos parlamentares.

A falta de experiência no executivo aliada a crise financeira que se anunciava para o município – o déficit esperado era de mais de R$ 400 milhões somente para o ano de 2021 – alimentavam nos adversários a certeza de que o novo prefeito seria um “fiasco” e em poucos meses passaria a atrasar pagamentos, incluindo a folha de pessoal.

Não foi o que se viu. Apesar da pandemia, JHC conseguiu tocar a gestão, mantendo as contas em dia e, já no primeiro ano, surpreendeu ao aumentar em mais de 15 vezes o valor de investimentos feitos pela prefeitura com recursos próprios

Em 2020 os investimentos da prefeitura somaram R$ 12 milhões. JHC fechou o primeiro ano da sua gestão com investimentos de R$ 177 milhões, “o maior dos últimos 20 anos”.

Em 2022, a prefeitura, segundo números preliminares da Secretaria de Economia, realizou investimentos da ordem de R$ 265 milhões.

Para os anos de 2023 e 2024, o secretário de Economia de Maceió, João Felipe Borges adianta que já estão assegurados investimentos com recursos próprios da ordem de R$ 1 bilhão, sendo mais de R$ 400 milhões este ano.

“Até 2020 o investimento médio da prefeitura de Maceió era de 1% da sua Receita Corrente Líquida. Em 2021 fechamos em 6,95% da RCL e em 2022  alcançamos 8,5%. Para 2023 a estimativa é passar dos 10%”, adianta o secretário.

Em participação na RCL, o volume de de investimentos será multiplicado por 10 vezes em 2023, na comparação com 2020. Se considerado o volume financeiro, o valor será aumentado em mais de 30 vezes.

A capacidade de investimento, explica Borges, veio do ajuste das contas públicas e do aumento da arrecadação. “Isso não acontece por acaso. Foi foco da gestão para fazer os investimentos”, afirma.

“Tivemos um crescimento de receita acima do esperado em função da inflação, da atuação da equipe de fiscalização e do fortalecimento da economia de nossa cidade. Além disso conseguimos racionalizar gastos com custeios e pessoal, permitindo destinar mais recursos para investimentos, seguindo determinação do prefeito JHC”, reforça o secretário.

A prefeitura ainda trabalha com a expectativa de recorrer a operações de crédito, o que pode elevar em mais de 100 vezes o valor investido até 2020. “Podemos chegar a investimentos de pelo menos R$ 1,7 bilhão entre este ano e o próximo. Nossa cidade era uma das últimas em investimentos. O esforço é para que Maceió fique entre as 4 capitais que mais investem em todo o país”, aponta o prefeito JHC.

A prefeitura fechou em 12o  lugar no ranking em 2021 e deve melhorar de posição no ranking de 2022, que ainda não foi divulgado. Além desses recursos, a gestão de JHC ainda trabalha com a possibilidade de recursos extras que podem vir das “disputas” com a BRK e Braskem. Mas essa é outra história.

Prefeito JHC conversa sobre o desenvolvimento econômico da capital com Raul Velloso e com o secretário João Felipe Borges. Foto: Itawi Albuquerque / Secom Maceió

Apresentando resultados

Nesta sexta-feira (13/01) o prefeito JHC apresentou resultados dos investimentos realizados em Maceió a um dos mais renomados economistas do  Brasil, Raul Velloso. O secretário João Felipe Borges participou do encontro. Veja o registro feito pela Secom/Maceió.

Prefeito JHC apresenta investimentos públicos ao economista Raul Velloso

O prefeito de Maceió, JHC, se reuniu, na manhã desta sexta-feira (13), com o secretário municipal de Economia, João Felipe Borges, e o renomado economista Raul Velloso, em visita à capital, para discutir os recentes investimentos públicos e o desenvolvimento de Maceió. O encontro aconteceu na sede da Secretaria Municipal de Economia (Semec), no centro da capital.

“É uma honra para todos nós receber uma figura tão ilustre e que irá contribuir como toda a sua sabedoria para esse planejamento que dará continuidade ao progresso que vem tomando conta de Maceió’’, disse o prefeito.

Durante a reunião, o prefeito e o secretário apresentaram ao economista as medidas que a Prefeitura de Maceió vem tomando para manter a solidez fiscal, ampliando os investimentos públicos com responsabilidade e garantindo o bem-estar da população.

A reunião também debateu os objetivos do Plano Municipal de Desenvolvimento Econômico (PMDE), onde economista tem um papel fundamental para o andamento do plano, atuando como consultor da equipe técnica.

O PMDE foi iniciado na atual gestão e irá estudar políticas públicas para os setores representativos para a economia na capital, focando também na justiça social. Além de ser um plano que propõe ações integradas que serão aplicadas pela Prefeitura de Maceió nos próximos dez anos.

Raul Velloso é um renomado economista, presidente do Fórum de Inspeção Nacional das Atividades Económicas (INAE) e também atua como consultor econômico, sendo uma referência nacional há muitos anos.

Leia aqui na íntegra: Prefeito JHC apresenta investimentos públicos ao economista Raul Velloso

 

Depois do “tombo”, AL terá maior safra de cana dos últimos anos
     │     8:16  │  0

Na história recente, o “fundo do poço” do setor sucroenergético de Alagoas foi registrado na safra 2017/2018. A moagem de 13,7 milhões de toneladas foi a menor em décadas.
As safras seguintes foram de recuperação e o objetivo é retomar os patamares históricos com médias de 25 milhões de toneladas de cana por moagem no Estado.

O setor fechou a safra 2021/2022, em abril do ano passado, com um volume de 18,3 milhões de toneladas de cana esmagadas, em crescimento de 6,9% ante a safra anterior quando foram esmagadas 17,037 milhões de toneladas.

A safra 2022/2023, que entra a partir deste mês no terço final, mantém o ritmo de retomada, apesar de todos os problemas ocasionados pelas chuvas atípicas de verão, especialmente em novembro de 2022.

O excesso hídrico atrasou a moagem, causando transtorno principalmente para fornecedores de cana do Estado. Tradicionalmente, os produtores conseguiam moer sua produção até novembro, mas a maioria ainda tem cana no campo ainda no campo, segundo levantamento da Associação dos Plantadores de Cana, confirmados pelo Sindaçúcar-AL.

As chuvas, apesar de atrasar a moagem, não foram suficientes para reduzir a estimativa de crescimento da produção. A expectativa de alta se mantém.

“Continuamos apostando numa safra em torno de 19,5 milhões de toneladas”, aponta o presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool em Alagoas, Pedro Robério Nogueira.

“Existe algum risco, dependendo do clima, de ficar cana em pé no campo. Mas nesse momento, todas as unidades operam com capacidade plena, num esforço para beneficiar todas as suas canas próprias, bem como as dos seus fornecedores”, explica o presidente do Sindaçúcar-AL.

De acordo com Pedro Robério, como as chuvas em novembro afetaram o funcionamento de todas as unidades, a expectativa é que a moagem seja mais longa em Alagoas. “Praticamente todas as unidades estão planejando a moagem até abril”, afirma.

Normalmente, apenas duas ou três unidades continuam a moagem em Alagoas até abril. A maioria tradicionalmente encerram a safra entre fevereiro e março.

Apesar do alongamento da moagem, Pedro Robério avalia que as chuvas deixarão saldo positivo para os próximos ciclos.
“A próxima safra deverá maior que a atual, em função do clima. As chuvas de verão ajudam principalmente na formação da safra seguinte. Além disso, registramos um aumento no plantio, o que aponta para desempenho positivo nos próximo ciclos”, aponta Pedro Robério Nogueira.

Pedro Robério Nogueira, presidente do Sindaçúcar-AL (Foto: assessoria)

Versão oficial

Veja texto da assessoria

Sindaçúcar-AL mantém expectativa de moagem superior a 19 mi de toneladas de cana

A incidência de chuvas no mês de dezembro – com índices pluviométricos semelhantes aos registrados em novembro passado – foi considerada positiva pelo Sindaçúcar-AL. Além de irrigar o canavial, que já teve a cana colhida, possibilita uma previsibilidade de crescimento para o próximo ciclo de moagem no estado.

“As precipitações que ocorrem nos meses de outubro a dezembro são as chamadas chuvas de verão. Elas são sempre bem-vindas. Contamos com elas para assegurar o crescimento da socaria. Mas o excesso de chuvas, a exemplo do que ocorreu no estado recentemente, gera um certo tumulto na moagem”, afirmou o presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira.

Estiagem

De acordo com o dirigente do setor sucroenergético alagoano, a partir da estiagem, que teve início na metade de dezembro, as usinas começaram a operar com uma celeridade acima da média.

“Com isso, toda a cana que ainda está no campo poderá ser colhida até março ou abril. Se isso não ocorrer, teremos cana no campo, resultante do esforço de produção e de plantio dos nossos fornecedores e empresas, que ficarão sem moer por falta de possibilidade operacional”, reforçou Nogueira.

Inverno

Pedro Robério reforçou ainda que, a partir do primeiro trimestre deste ano, tem início as denominadas chuvas de inverno. “É um período onde a moagem fica com a operacionalidade muito complexa com queda do rendimento industrial. Por isso, queremos processar toda a cana existente. Esperamos ter um aumento de safra expressivo. É com ele que estamos trabalhando desde o início desta moagem”, declarou.

Segundo o executivo, nos últimos cinco anos o setor em Alagoas vem registrando um crescimento acelerado, diante de um esforço industrial. “Por isso, não está no nosso radar deixar cana sem ser processada nesta safra. Continuamos trabalhando com um cenário de processar 19 milhões ou até 19,5 milhões de toneladas de cana”, afirmou.

De volta a AL: ministro Renan Filho libera obras em sua primeira visita oficial ao Estado
   12 de janeiro de 2023   │     22:58  │  0

O ministro dos Transportes e senador diplomado por Alagoas, Renan Filho, volta ao Estado pela primeira vez desde que assumiu o Ministério em 1o de janeiro. Será a primeira agenda que ele cumpre fora de Brasília desde a posse.

Na primeira viagem ao Estado, Renan Filho embarcou em avião de carreira e terá agenda cheia, começando por reunião, seguida de entrevista coletiva ao lado do governador Paulo Dantas no Palácio dos Palmares, às 8h30 da manhã desta sexta-feira (13/01).

Nas redes sociais, o ministro antecipou que vai autorizar a retomada de obras em rodovias federais de Alagoas.

“Liberaremos trecho que estava interrompido na BR 104, município de São José da Laje. Observaremos também o andamento das obras da estrada da Serra da Catita em Ibateguara que vai permitir a ligação da BR 101 a BR 104. Vou tocar e entregar essa obra”, disse o ministro.

Renan Filho vem a Alagoas acompanhado de equipe do DNIT para estudar solução para a interrupção e obras da BR 101 entre São Miguel dos Campos e Boca da Mata.

“Essa interrupção da BR 101 tem causado forte transtorno aos alagoanos e viajantes. Vou me empenhar pessoalmente na solução desse problema”, adiatou.

O ministro antecipou que vai tratar com o governador Paulo Dantas da duplicação da BR 316 no trecho o Benedito Bentes (Maceió) e o município de Pila, além da BR 427 que garante acesso ao polo industrial de Marechal Deodoro.

“Alagoas contará sempre com meu trabalho e dedicação. Vamos fazer mais com menos para que os resultados apareçam e melhorem a competitividade nacional e a vida das pessoas”, disse Renan Filho.

Com Lula

Antes de retornar a Alagoas, o ministro Renan Filho despachou com o presidente Lula (veja foto) para definir as prioridades de sua Pasta.

“Hoje estive com o presidente Lula no Palácio do Planalto para tratar sobre os investimentos prioritários para o Brasil. Empreenderemos esforços no Ministério dos Transportes para fazer mais, com menos e assim impulsionaremos os investimentos em infraestrutura no país.”, disse

“Além dos investimentos públicos, faremos esforço grande para atrair mais capital privado a fim de melhorarmos mais ainda a infraestrutura nacional”, enfatizou.

Renan Filho durante reunião com o presidente Lula (Foto: reprodução Instagram)

Versão oficial

Veja texto da Agência Alagoas sobre a vista do ministro Renan Filho

AVISO DE PAUTA
Paulo Dantas acompanha visita do ministro Renan Filho em Alagoas nesta sexta-feira (13)
Entrevista coletiva está marcada para detalhar obras de infraestrutura rodoviária

O governador Paulo Dantas recepciona o ministro dos Transportes, Renan Filho, durante sua primeira visita oficial ao Estado nesta sexta-feira. Eles participam de uma entrevista coletiva, às 8h30, para detalhar as obras de infraestrutura rodoviária previstas para Alagoas.

A coletiva ocorrerá no Palácio República dos Palmares, em Maceió. Não haverá necessidade de credenciamento prévio para profissionais de imprensa.

SERVIÇO
O que: Coletiva
Quando: sexta-feira (13), 8h30
Onde: Palácio República dos Palmares – Salão Aqualtune
R. Cincinato Pinto, s/n – Centro, Maceió – AL, 57020-050

Secretaria Estadual de Comunicação de Alagoas

O negócio de 1,2 mil empregos que vai colocar Murici entre as maiores arrecadações de AL
   10 de janeiro de 2023   │     22:24  │  6

Situada na região metropolitana de Alagoas, Murici sempre foi destaque na política de Alagoas por ser a “terra dos Calheiros”. O município, com 418,028 km² e população de 28,5 mil habitantes (IBGE 2021) teve força econômica até os anos 1980, quando tinha usinas de cana-de-açúcar, mas entrou em seguida numa estagnação em sua economia, que começou a ser revertida, enfim, a partir do governo de Renan Filho.

Como “herança” da gestão do ex-governador (2015 a 2022) e atual ministro dos Transportes, Murici parece pronta para viver uma nova fase de crescimento na sua economia, a partir da implantação de um polo industrial e de serviços que além de gerar empregos, promete aumentar a arrecadação do município.

O prefeito Olavo Neto (MDB), primo de Renan Filho, está no segundo mandato e avalia que vai deixar para o seu sucessor, daqui mais dois anos, uma maior capacidade de investimentos.

Somente o CD da Natura, instalado na cidade, está gerando atualmente mais de 1,2 mil empregos e deve movimentar mais de R$ 1 bilhão por ano.

“Pelos nossos estudos, a partir dessa nova realidade, o ICMS de Murici vai pular do 36o hoje para o 6o maior de Alagoas dentro de dois anos”, no máximo, aponta o prefeito.

Em 2022, Murici tinha um IPM (Índice de Participação dos Municípios) de 1,2937 e recebeu R$ 13.931.372,72 de repasse de ICMS do governo de Alagoas.

O repasse deve aumentar para mais de 5 pontos. Com isso, a receita de ICMS de Murici pode passar dos R$ 70 milhões já em 2024.

“O fato gerar (Valor Agregado) só tem efeito nos cálculos do IPM após dois anos. Mas hoje, com base no que está sendo movimentando na economia de nossa cidade, já sabemos que teremos um dos maiores ICMS de Alagoas a partir de 2024”, aponta o prefeito.

A chegada de novas empresas também está gerando oportunidades para os moradores da cidade e região. “Fizemos uma capacitação com mais de 2 mil pessoas e a maioria dos que trabalham na Natura é de moradores de nossa cidade”, reforça Olavo.

Outras empresas, avisa o prefeito, estão indo para Murici. “Nos próximos dias vamos inaugurar a fábrica da Copra”, avisa.

Mas essa é outra história.

Olavo Neto , prefeito de Murici (Foto: Blog do Edivaldo Junior)

CD da Natura em Murici (Foto: Blog do Edivaldo Junior)

 

Versão oficial

O Centro de Distribuição da Natura foi inaugurado em 31 de março de 2022.

Veja a informação da Agência Alagoas

Grupo Natura inaugura Centro de Distribuição em Alagoas

O Natura &Co inaugurou na manhã da quinta-feira (31/03/2022) um Centro de Distribuição no município de Murici, em Alagoas.

Com investimentos na ordem de R$ 99 milhões o Centro de Distribuição vai gerar mais de 2,5 mil empregos no estado, sendo 1,2 mil diretos.

Ao entrar em operação o Centro de Distribuição de Natura &Co em Murici vai atender as demandas de entregas de produtos Natura e Avon em estados do Nordeste e Norte do Brasil; podendo gerenciar por dia até 3.300 pedidos.

Com uma estrutura que conta com área de 49.000 m² e capacidade total de armazenagem de 17 mil posições porta-pallet, as instalações são modernas e funcionam com uma planta de energia solar de excelência para atender a demanda elétrica na central.

“A chegada de Natura &Co a Alagoas representa o coroamento de um trabalho sério e persistente que fizemos na nossa gestão fiscal, na melhoria da infraestrutura e na construção de uma política verdadeiramente atrativa para investidores. Nos últimos sete anos, criamos as bases para que o Estado pudesse dar um salto no desenvolvimento. O Centro de Distribuição em Murici é um marco dessa transformação, que representa mais empregos, novas oportunidades de crescimento profissional para os nossos jovens e mais geração de riquezas para o nosso Estado”, afirma Renan Filho, governador de Alagoas.

“Esse é mais um passo fundamental no processo de integração de nossos negócios na América Latina, pois o novo Centro de Distribuição foi projetado para, desde o início, atender simultaneamente às marcas Avon e Natura”, diz Josie Peressinoto Romero, vice-presidente de Operações e Logística de Natura &Co América Latina. “Murici é uma cidade com acesso a eixos rodoviários importantes do Nordeste e do Norte, o que vai permitir que aprimoremos ainda mais os níveis de serviço de Natura &Co nessas regiões”.

Além de Murici, Natura &Co possui mais nove Centros de Distribuição no Brasil, situados em: Cabreúva (SP), Canoas (RS), Castanhal (PA), Jaboatão dos Guararapes (PE), Matias Barbosa (MG), São Paulo (SP), Uberlândia (MG) e dois em Simões Filho (BA). Também há dois Hubs Logísticos, um em Cabreúva e outro em Itupeva (SP).

A empresa TPC (do Grupo JSL) é o operador logístico selecionado para atuar em parceria no novo Centro de Distribuição. As lideranças que coordenarão o dia a dia no local iniciaram o treinamento em janeiro, com visitas de integração a outros Centros de Distribuição de Natura &Co. E a equipe operacional está, desde fevereiro, recebendo treinamentos na própria planta de Murici.