Santoro será o “novo” secretário da Fazenda de Alagoas
   13 de maio de 2022   │     22:17  │  0

O deputado estadual Paulo Dantas deve ser eleito para o governo de Alagoas neste domingo, 15, na Assembleia Legislativa de Alagoas.

O primeiro pronunciamento será feito no Legislativo, logo após a posse. Em seguida, anuncia mudanças no primeiro escalão.

Uma das pastas que passará por mudanças é a Secretaria da Fazenda.

Nomeado para o cargo pelo governador interino, desembargador Klever Loureiro, o auditor de Finanças e Controle de Arrecadação da Sefaz, Arthur Rogério Ferreira da Mata, será substituído.

O “novo” secretário da Fazenda será George Santoro, que estava no cargo desde janeiro de 2014 e foi exonerado no dia 4 deste mês, após suposto desalinhamento institucional com o governador interino.

Santoro foi o primeiro nome a ser convidado e confirmado pelo futuro governador e conta com sua total confiança.

De volta á Sefaz-AL, Santoro continuará sendo Santoro. Ou alguém aí duvida disso?

Tem mais

Santoro não será o único “novo” nome no primeiro escalão. Daqui a pouco volto com mais.

 

Comentários 0

Paulo Dantas deve ser eleito governador na ALE, com mais de 70% dos votos
     │     19:36  │  0

Não é pesquisa. É prognóstico. O deputado estadual Paulo Dantas (MDB) e o médico Zé Wanderley (MDB) devem ser eleitos governador e vice-governador na eleição indireta marcada para o próximo domingo (15/05) na Assembleia Legislativa de Alagoas com mais de 70% dos votos possíveis.

Na eleição votam apenas os 27 deputados estaduais. Serão oito candidatos na disputa. Destes, três devem ter votos.

Salvo fato novo, Paulo Dantas terá de 20 a 22 votos, ou seja de 70% a 80% da votação. Davi Maia (UB) e Siderlane Mendonça (PSB) terão de três a quatro votos e Cabo Bebeto (PL) e Leonardo Dias (PL) terão de um a dois votos.

A “dúvida” na votação de Paulo Dantas passa principalmente pelo comparecimento – ou não – de todos os 27 deputados estaduais. Existe a possibilidade de que um parlamentar não compareça a votação.

Os demais candidatos poderão ter, no máximo, um voto – a depender de como votará em deputado especificamente.

 

Veja quem são os candidatos a governador na eleição indireta

A Assembleia Legislativa publicou no Diário Oficial da Casa na quinta-feira, 12, as oito chapas inscritas para concorrerem à eleição indireta de governador e vice-governador de Alagoas, marcada para o próximo domingo, 15, às 13 horas.

O cargo de governador ficou vago com a renúncia do ex-governador Renan Filho. O cargo de vice-governador estava vago com a saída de Luciano Barbosa, que assumiu a Prefeitura Municipal de Arapiraca.

Cargos de governador e vice-governador de Alagoas, respectivamente:

– Chapa 1 – Governador: Luciano Valdomiro Silva Fontes. Vice-governador: Rogers Tenório dos Santos.

– Chapa 2 – Governador: Luiz Alberto Alves Teixeira (Cabo Bebeto). Vice-governador: Leonardo da Fonseca Dias.

– Chapa 3 – Governador: Flávio Henrique Catão Nogueira. Vice-governador: Rocielle Almeida Pacheco.

– Chapa 4 – Governador: Francisco Aureliano Rocha de Vasconcelos Teixeira. Vice-governador: Jeová Evaristo da Silva.

– Chapa 5 – Governador: Wadeildo José Gomes Vasconcelos Bezerra. Vice-governador: Niedja Santos de Oliveira.

– Chapa 6 – Governador: David Maia de Vasconcelos Lima. Vice-governador: José Siderlane Araújo de Mendonça.

– Chapa 7 – Governador: Danubia Karlla da Silva Barbosa. Vice-governador: Arlan Montilares de Oliveira Silva.

– Chapa 8 – Governador: Paulo Suruagy do Amaral Dantas. Vice-governador: José Wanderley Neto.

 

Comentários 0

De volta: Zé Wanderley reassume “vaga” de vice 12 anos depois
     │     15:42  │  0

O médico José Wanderley Neto, o “Doutor Wanderley” deve reassumir, quase doze anos depois a vaga de vice-governador, um espaço que ele deixou em função do rompimento político – e apenas político – entre Téo Vilela e Renan Calheiros.

Wanderley (MDB) foi eleito vice-governador de Teó Vilela (PSDB) em 2006. Seria o candidato natural à reeleição em 2010, especialmente pela relação de muita proximidade e confiança que manteve com o governador até o último dia do mandato. Seria.

Em função da saída do MDB do governo terminou “cedendo” a vaga para outro Zé, o Thomaz Nonô (DEM).

A volta de Wanderley ao cargo – em razão de suposto impedimento de Rafael Brito – ocorre de forma inesperada, mas não surpreende. Zé sempre foi um nome lembrado no partido para a função.

A eleição como vice de Paulo Dantas, já dada como certa no próximo domingo (15/05) na Assembleia Legislativa, não tira necessariamente o médico da disputa por uma vaga de deputado estadual.

Ele é (era) apontado como forte candidato a Assembleia Legislativa de Alagoas. Do ponto de vista legal, pode ser vice e disputar outro mandato – assim como o fez Luciano Barbosa (MDB), atual prefeito de Arapiraca.

Mas tudo indica, que os planos mudarão. O mais provável é que Wanderley também seja o vice-governador da reeleição ao lado de Paulo Dantas, em 2 de outubro. A seu favor, tem o trabalho como médico, reconhecido pelos alagoanos e o seu comportamento. Nos meios políticos, Wanderley é conhecido pela sua lealdade. E isso pesa – e muito – nesses tempos de tantas incertezas na política alagoana.

Comentários 0

“Vítima” da judicialização, Rafael Brito traça novos planos eleitorais
     │     1:44  │  1

Empresário e considerado um dos nomes mais atuantes da gestão de Renan Filho, Rafael Brito foi tratado “de fato” como vice-governador de Alagoas por duas semanas.

Teria sido eleito, sem dificuldades, na primeira convocação da eleição indireta de governador e vice, no dia 2 de maio, suspensão por decisão liminar do presidente do STF, ministro Luiz Fux.

Seu nome continuou na “chapa” até ontem, mas indicação sucumbiu ante o temor da judicialização.

Pesava sobre Rafael Brito a ameaça de impugnação de chapa – e neste caso, dada a nova regra para a segunda convocação da eleição (prevista para o próximo domingo, 15) poderia afetar não só o candidato a vice, mas também o candidato a governador.

O que pesou em desfavor de Rafael Brito foi o prazo de desincompatibilização da Secretaria de Educação, uma regra que acredita-se não seria necessariamente aplicado no caso de eleição indireta.

Ainda assim, a opção foi seguir a recomendação de políticos e juristas: “tivemos a informação de que pediriam a impugnação da chapa. Neste caso, além de mim, o Paulo Dantas também poderia ser atingido. Achamos mais prudente não correr o risco, para assegurar que a eleição seja realizada sem novos imprevistos”, aponta.

Brito revela que avisou a Paulo Dantas que abria mão da indicação da vaga de vice, em função do risco da judicialização: “lamento tudo isso, mas eu jamais me colocaria nesse papel, de oferecer algum risco à chapa, até porque nosso maior compromisso é com a eleição do Paulo Dantas”, pondera.

“Não há mágoas. Todos foram muito corretos comigo, especialmente o doutor Wanderley, que será eleito ao lado de Paulo Dantas no próximo domingo. A decisão de não manter a candidatura foi minha. Estaremos juntos, agora no dia 15 de maio e em 2 de outubro.” aponta

Fora da vice, Rafael Brito tem novos planos eleitorais. “Tio Rafa”, anote, quer ser o deputado da educação, do setor produtivo, do turismo, do emprego e do Desenvolvimento. Mas essa é outra história.

Comentários 1

Rui Palmeira une PSD e Republicanos e consolida projeto ao governo
   12 de maio de 2022   │     10:02  │  1

O ex-prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSD) conseguiu consolidar a aliança com o Republicanos em Alagoas, numa aliança que consolida sua pré-candidatura ao governo do Estado. Em Brasília, ele participou nessa quarta-feira (11/05), de encontro com os presidentes nacionais do PSD, Gilberto kassab, e do Republicanos, Marcos Pereira.

O deputado estadual Antônio Albuquerque (Republicanos), que coordenou os entendimentos com Palmeira em Alagoas, também participou da reunião.

“Hoje, em Brasília, tivemos um encontro muito produtivo entre os Presidentes Nacionais e Estaduais do PSD @gilbertokassab_ e @ruisoarespalmeira e do Republicanos @marcospereira1010 e @antonioralbuquerque, para firmar um compromisso pelo futuro de Alagoas”, registrou Rui Palmeira em suas redes sociais.

A confirmação da aliança dos dois partidos em Alagoas pelos presidentes nacionais do PSD e Republicanos, segundo Rui Palmeira acaba com boatos de que ele poderia desistir ou “perder” a legenda.

“Isso acabou, foi dissipado. Já dei a resposta. A foto de ontem fala por si”, diz.

Palmeira adianta que a pré-campanha chega as ruas a partir da próxima semana: “Está tudo montado. Parte jurídica, de marketing. A gente vai botar a campanha na rua na semana que vem. O Sidônio (Palmeira), conseguiu trazer o que há de melhor na criação dele”, aponta.

Marqueteiro conhecido nacionalmente (fará este ano a campanha de Lula) Sidônio é primo de Rui Palmeira e será responsável também pelo marketing de sua campanha ao governo. Segundo Rui, haverá um momento para lançar a pré-campanha, mas antes disso vai começar ações de markeking, incluindo gravações para inserções do PSD na TV, já a partir da próxima semana.

Composição

Por telefone, na manhã desta quinta-feira (12/05), Rui Palmeira disse que foi estabelecido um acordo para que o Republicanos indique um nome para compor a chapa majoritária a ser formada a partir da aliança com o PSB. “O Albuquerque fará a indicação de um candidato a vice ou a senador”, adianta.

Rui Palmeira explica que vai buscar reforço para a formação da chapa majoritária: “vamos conversar. O caminho é, junto com Albuquerque, a gente buscar um nome para somar na chapa. Vamos trabalhar para ter uma chapa completa”, aponta..

O empresário Celso Pessoa, de Arapiraca, que chegou a ter o nome cotado para compor a chapa com Rui Palmeira, avisou que não poderá participar da disputa em função de compromissos e impedimentos empresariais. Ainda assim, tem sido um importante articulador da pré-campanha de Palmeira na região agreste e deve promover encontro do pré-candidato com empresários de Arapiraca na próxima semana.

“Deixa eles”

Enquanto os dois principais grupos políticos do Estado estão numa queda de braços em torno da eleição indireta de governador, Rui Palmeira segue mais preocupado em viabilizar sua pré-candidatura ao governo.

“Deixa essaa confusão para eles, deixa esse rolo aí de gente grande, Renan, Arthur Lira, deixe eles para lá. Sobrevimos as filiações, conseguimos montar as chapas, agora é pensar mês a mês. Até chegar a eleição”, afirma.

Quanto a eleição presidencial, Rui Palmeira adianta não há nenhum compromisso – ao menos por enquanto. “A tendência do PSD é não ter candidato a presidente, não coligar ninguém na nacional e liberar os estados, até porque tem gente do partido em outros Estado gente que vota no Lula, no Ciro, no Bolsonaro. A tendência é ficar a vontade para cada Estado definir. Esse não é problema na aliança em Alagoas”, aponta.

Ampliando

O grupo de Palmeira pode ser ainda ampliado com a participação de outros partidos. E segundo interlocutores, as conversas seguem em aberto com várias legendas, incluindo Avante, PSC e Podemos, entre outras.

“Com o Republicanos conseguimos dar um importante passo, conseguindo praticamente o tempo de TV e rádio recomendado pelo pessoal do marketing. Além disso, Albuquerque trará importante reforço do interior, com o apoio de pelo menos 12 prefeitos”, aponta um interlocutor.

Rui Palmeira participa de reunião, em Brasília, ao lado de Gilberto Kassab, Marcos Pereira e Antônio Albuquerque – Foto: reprodução Instagram

Rui Palmeira participa de reunião, em Brasília, ao lado de Gilberto Kassab, Marcos Pereira e Antônio Albuquerque – Foto: reprodução Instagram

Comentários 1