Rui Palmeira deixa PSDB e escolhe entre três partidos um para chamar de seu
   18 de fevereiro de 2020   │     9:46  │  1

Com os dois pés fora do barco do PSDB, o prefeito de Maceió vai a Brasília nesta quarta-feira, para formalizar seu desligamento do ninho tucano.

Para onde vai Rui Palmeira? O Podemos, hoje sob o comando de Tácio Melo, está de portas abertas para recebê-lo, mas essa não deve ser sua primeira opção.

O prefeito analisa um convite feito por Flávio Moreno e pode, se aceitá-lo, assumir o comando do PSL na capital.

Mas nos bastidores, voltou a circular a informação de que Rui Palmeira poderá ir mesmo para o DEM. O ‘namoro’ com o Democratas é antigo. Por diversas vezes a ida do prefeito para o partido foi especulada. Isso porque ele teve algumas reuniões com o presidente nacional da legenda, ACM Neto. Além disso, a relação com o presidente do DEM em Alagoas, Thomaz Nonô, e com o deputado estadual Davi Maia Lima é muito próxima.

A decisão só deverá ser tomada, no entanto, depois que o PSDB confirmar que não terá candidato a sua sucessão, sinalizando um apoio ao deputado federal JHC (PSB), que Rui considera inadmissível.

Palmeira segue analisando os nomes de Ronaldo Lessa (PDT) e Davi Davino Filho (PP) e deve se decidir por um dos dois até o início de março. Fora disso é fato novo e inesperado.

COMENTÁRIOS 1

R$ 120 mi e 500 empregos: grupo anuncia construção do maior hotel de AL
   17 de fevereiro de 2020   │     22:14  │  0

Com 38 hotéis espalhados pelo mundo, grupo Vila Galé tem, está desembarcando oficialmente em Alagoas. Nesta segunda-feira, 17, foi assinado o protocolo de intenção com o governo do Estado para a construção de um resort na Barra de Santo Antônio, a 40 km de Maceió. O empreendimento, que demandará investimentos da ordem de R$ 120 milhões deve gerar 500 empregos diretos e vai começar a operar já em 2021.

O presidente do Vila Galé, Jorge Rebelo de Almeida, confirmou que o maior grupo de resorts de praia no Brasil vai construir um hotel com maios de 500 apartamentos na Praia do Carro Quebrado, no município de Barra de Santo Antônio, “que é uma área lindíssima, como todo o litoral de Alagoas”, afirmou Jorge Rebelo de Almeida.

O protocolo de intenções foi assinado entre diretores do Vila Galé e o governo do Estado após negociações conduzidas pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo.

“O grupo Vila Galé anunciou investimento de R$120 milhões para Alagoas e agora demos mais um passo nessa conquista! Acabamos de assinar com o presidente da empresa, Jorge Rebelo, o protocolo de intenções que oficializa a implantação do maior hotel da nossa história! Com esse mega empreendimento no município da Barra de Santo Antônio, vamos gerar mais de 500 postos de trabalho diretos no Estado, garantindo mais oportunidade e geração de emprego para os nossos alagoanos”, aponta o secretário da Sedetur/AL, Rafael Brito.

O governador Renan Filho também participou da assinatura do protocolo de intenções e reforçou que “o investimento chegará a 120 milhões e gerará 500 empregos. Obrigado ao presidente da rede, Jorge Rebelo, pela confiança no nosso trabalho e parabéns a Sedetur, que, sob o comando do Rafael Brito tem captado mais investimentos para AL”.

A deputada estadual Cibele Moura e a prefeita da Barra de Santo Antônio, Emanuella Moura, ambas do PSDB, também participaram da assinatura do protocolo de intenções.

Acompanhada da deputada Cibele Moura, estive hoje com o empresário Jorge Rabelo, do Vila Galé, e com o secretário de estado do Turismo, Rafael Brito. Estamos acelerando, na prefeitura, a parceria para o início da obra que vai gerar mais 400 empregos em nossa cidade, construída em 12 hectares e cujo projeto prevê 518 apartamentos. Fiquei entusiasmada com o projeto, que além de possuir um belo designer arquitetônico, preservará o meio ambiente da área construída”, disse Emanuella Moura nas suas redes sociais.

O presidente do grupo Vila Galé, ao centro, com o secretário Rafael Brito, a prefeita Emanuella Moura e a deputada Cibele Moura

COMENTÁRIOS 0

PP dá ‘sinal verde’ para candidatura de Davi Filho a prefeito de Maceió
     │     17:10  │  0

Em entrevista no final de semana, o deputado Davi Filho disse que o Partido Progressista está a sua disposição, no caso de uma possível candidatura a prefeitura de Maceió.

“O brasileiro tem essa tradição de começar o ano somente após o carnaval, mas estamos avaliando algumas possibilidades. Estamos avaliando a minha situação, eu estou em um partido onde estou confortável, a legenda já está a minha disposição, caso a gente entenda que a minha candidatura seja algo viável”, afirmou o deputado a um site local.

Se for candidato a prefeito, como se especula, além do seu partido, o PP, e do Solidariedade, Davi Davino Filho já tem assegurado o apoio do Republicanos, do deputado federal Severino Pessoa. “É martelo batido e ponta virada”, avisa Pessoa.

Com esses três partidos, Davi Filho conseguiria garantir um bom tempo de televisão (de 1min30s a 2min) e um provavelmente um forte apoio de candidatos proporcionais, O parlamentar, no entanto, trabalha com a possibilidade, de confirmada a sua candidatura, ampliar a coligação com mais duas a três legendas. Mas essa é outra história.

 

COMENTÁRIOS 0

Alagoas pode perder “espaço” com mudança de ministro de Jair Bolsonaro
   15 de fevereiro de 2020   │     21:19  │  1

Cooperativas e associações Agricultores familiares estavam se preparando para a visita do Ministro da Cidadania a Alagoas neste sábado, 15. A agenda de Osmar Terra incluía uma passagem por Santana do Ipanema e São José da Tapera com participação de prefeitos e pelo menos dois deputados federais.

As mudanças no Ministério, confirmada pelo presidente Jair Bolsonaro nessa quinta-feira, além de provocar o cancelamento da agenda foi um banho de água fria, não só para a agricultura familiar, mas também vários setores de Alagoas.

A preocupação é que a exoneração de Osmar Terra do Ministério da Cidadania pode afetar diretamente vários programas sociais que são realizados em convênio entre o Estado de Alagoas e o Governo Federal.

É o caso do programa do leite, que está em fase de renovação e pode atrasar a nova pactuação em função da mudança na Pasta, que também cuida de programas nas áreas sociais (Bolsa Família) e até de cisternas para o sertão.

Deputado federal do MDB, Osmar Terra tem relação próxima com os deputados federais Marx Beltrão (PSD) e Isnaldo Bulhões Jr (MDB), além de uma boa relação com o governador Renan Filho (MDB).

Osmar era único ministro do MDB no governo de Jair Bolsonaro. Com a saída dele, a interlocução do partido com o governo deve se tornar ainda mais difícil do que já era.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzonni (DEM) vai assumir a pasta da Cidadania. Mais conservador e ideológico do que Osmar Terra, ele pode provocar mudanças em vários programas realizados no Ministério.

A expectativa é grande. Mas o que se espera é que ele mantenha ações principalmente na área social, o que pode “salvar” o programa do leite.

COMENTÁRIOS 1

‘Congelamento’ de salários ajuda governo de AL a melhorar indicadores fiscais
   14 de fevereiro de 2020   │     23:00  │  4

Em 2019 o Estado de Alagoas conseguiu aumentar sua arrecadação tributária em mais de 6,6%. Ao mesmo o governo tempo reduziu os gastos líquidos com pessoal em mais de 1% por conta do ‘congelamento’ salarial.

Na prática, a decisão do governo de Alagoas em não dar reajuste ao funcionalismo em 2019 afetou negativamente o bolso de mais de 70 mil servidores públicos ativos e inativos, mas do outro ajudou a melhorar os indicadores fiscais do Estado.

O resultado é que pela primeira vez nos últimos dez anos os gastos com pessoal ficaram abaixo de 45% da Receita Corrente Líquida.

De acordo com o Relatório de Gestão Fiscal de 2019, a despesa total líquida com pessoal em 2019 chegou a R$ 3,826 bilhões e representou 44,71% da Receita Corrente Líquida, que foi de R$ 8.559.007.201,96.

Os gastos com pessoal, pela primeira em mais de uma década ficaram próximo do Limite de Alerta da Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 44,1% e se distanciaram dos limites Prudencial (46,55%) e Máximo (49%).

Em 2014, por exemplo, Alagoas superou o limite da LRF e registrou gastos de 49,71%, ultrapassando o limite máximo. Desde então, o Estado oscilou com percentuais de gastos acima dos 48%, exceto em 2016 (45,97%) e 2019 (44,71%), justamente os dois anos em que o funcionalismo ficou sem reajustes.

A comparação com as despesas de 2018 aponta para um verdadeiro arrocho salarial no Estado. Segundo o Relatório de Gestão Fiscal de 2018, as despesas líquidas com pessoal naquele ano foram de R$ 3.876 bilhões e representaram 48,69% da Receita Corrente Líquida, que foi de R$ 7.962 bilhões.

Em outras palavras ou números, o ‘congelamento’ salarial ajudou o Estado a poupar mais recursos para aplicar em outras áreas. A RCL cresceu de R$ 7,9 bi para R$ 8,5 bi enquanto o gasto com pessoal caiu de R$ 3,87 bi para R$ 3,82 bi.

Na comparação ano a ano, os gastos com pessoal tiveram uma pequena queda nominal de 1,29% entre 2018 e 2019.

Mas se considerada a variação real (levando-se em conta a inflação que foi de 3,75% em 2018) o poder de compra do servidor público de Alagoas caiu mais de 5%.

Veja os relatórios

Veja os relatórios completos em PDF:

RGF_3º_quadrimestre_2018_-_V3

RGF_3º_quadrimestre_2019_-_V1P

COMENTÁRIOS 4