RF deve promover nova mudança no primeiro escalão do governo
   15 de agosto de 2017   │     14:45  │  0

Com status de Secretaria de Estado, Maria Clara Bugarim deve deixar a Controladoria Geral de Alagoas (CGE) nos próximos dias. Ao menos é o que informa a “rádio corredor” do Palácio dos Palmares.

No cargo desde o início do governo Renan Filho, ela é considerada um dos melhores quadros do governo.

A saída de Clara do governo não chega a ser uma “novidade”. Ela chegou a ensaiar a “despedida” há cerca de três meses quando alcançou um importante objetivo: colocar Alagoas no topo do ranking nacional da transparência pública.

Clara sai contra a vontade dela própria e do governador. É fato que a controladora vem adiando – há um bom tempo – projetos pessoais. Pesou muito o fato de sua família morar em outro estado. Em seu lugar deve ser nomeada Bruna Toledo, que já faz parte da equipe e ajudou a atual controladora a transformar Alagoas no Estado mais transparente do Brasil.

Influência política

Bruna é filha do deputado estadual Sérgio Toledo. A sua nomeação, no entanto, seria, garantem os mais próximos de Renan Filho, meramente técnica, até porque “na CGE ela não terá como agir politicamente”.

Diferente, no entanto, deve ser a nomeação de João Paulo Amaral, que tem laços familiares com o parlamentar. Ele foi exonerado do cargo de secretário adjunto da Ciência e Tecnologia nessa segunda-feira, 14, e, ao que se sabe, deve assumir a presidência da Cepal. Sua nomeação dependeria apenas da aprovação do conselho da empresa.

O mais transparente

O registro de Alagoas como estado mais transparente do país foi feito pela Agência Alagoas em maio deste ano. Leia:

Alagoas lidera ranking nacional de transparência pública

O Estado de Alagoas ocupa o primeiro lugar no ranking da Escala Brasil Transparente (EBT). Essa é a terceira edição da EBT, que mede a transparência pública dos estados e foi desenvolvida para subsidiar o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) nas suas competências. Na segunda edição, divulgada em 2015, Alagoas aparecia em 17º lugar.

http://www.agenciaalagoas.al.gov.br/noticia/item/15909-alagoas-lidera-ranking-nacional-de-transparencia-publica

COMENTÁRIOS 0

Leilão de bens da Laginha pode ser cancelado por falta de cadastro de leiloeira
     │     9:01  │  0

A Superbird (http://www.canaljudicial.com.br/), leiloeira que foi contratada pela Justiça de Alagoas (comarca de Coruripe) para fazer o leilão de bens da massa falida da Laginha Agroindustrial SA não está cadastrada no Tribunal de Justiça de Alagoas.

Sem o cadastro, o leilão de bens, que está sendo realizado pela empresa, pode se tornar nulo.

A Superbid realizou, em primeira praça, encerrada no último dia 4, o leilão de 4 lotes da Laginha, incluindo a antiga sede do grupo, em Jacarecica, avaliada em R$ 15,7 milhões. No leilão só foi dado lance para venda de um avião, de R$ 340 mil. Os demais itens, que somam mais de R$ 16 milhões, podem ir a leilão em segunda praça. Isso se for resolvida a questão de cadastro da leiloeira no TJ.

Segundo petição de cancelamento do leilão, apresentada por advogados que representam partes interessadas, “os leilões judiciais devem ser realizados exclusivamente por leiloeiros credenciados perante o órgão judiciário competente. Tal norma está insculpida na resolução 236/2016 do Conselho Nacional de Justiça”.

Ainda na petição, o advogado acrescenta resposta à consulta feita ao Tribunal de Justiça de Alagoas, assinada pela subdiretora geral substituta, Karinne de Medeiros Duarte, informando que o edital de credenciamento de leiloeiros perdeu vigência no mês de julho deste ano.

Veja a reprodução dos documentos:

COMENTÁRIOS 0

Governador e prefeito “empatam” em Maceió; no agreste e sertão RF coloca 40% na frente de Rui
   14 de agosto de 2017   │     13:30  │  1

O Ibrape divulgou, na última semana, resultado de pesquisa geral de intenção de voto no estado.

O levantamento foi realizado entre 26 e 30 de julho com 2 mil eleitores com 16 anos ou mais, com intervalo de confiança estimado de 95% e margem de erro de 3%. Fora realizadas amostragens em 45 diferentes cidades de todas as regiões alagoanas.

O Ibrape montou um cenário com 4 candidatos eventuais ao governo em 2018, assim como fez nas pesquisas anteriores.

No resultado geral, se as eleições para governador fossem hoje e os candidatos fossem os seguintes, o resultado, segundo o Ibrape ficaria assim: Renan Filho 39%, Rui Palmeira 15%, JHC (PSB) 6% e Mário Agra (Rede) 1%. Dos entrevistados, 17% estão indecisos e 22% votariam branco ou nulo.

No confronto direto, ficaria assim: RF 41% x 18% Rui; RF 43% x 11% JHC.

No interior, Renan Filho amplia diferença

O blog teve acesso, com exclusividade, ao resultado do Ibrape por região. A leitura desses dados mostra que Renan Filho e Rui Palmeira estão tecnicamente empatados em Maceió, com 21% e 20%, respectivamente. No interior, no entanto, o governador tem uma larga vantagem sobre os demais candidatos.

 

COMENTÁRIOS 1

Biu revela “preocupação” com candidatura de João Caldas ao Senado
   13 de agosto de 2017   │     17:05  │  0

Vendo o peixe pelo mesmo preço que comprei. Em encontro, na quarta-feira passada,9, no Senado, o senador Armando Monteiro (PTB-PE) quis saber o que o senador Benedito de Lira (PP-AL) achava das pesquisas, em que ele vem aparecendo em terceiro – após Renan Calheiros (PMDB) e Téo Vilela (PSDB), com um surpreendente João Caldas (PSB), em quarto lugar.

Biu teria dito, ao estilo, segundo versão que corre no Senado: “já não bastavam as dificuldades, agora me arrumaram mais esse João Caldas (PSB)”.

A preocupação de Biu, se verdadeira, faz sentido. Na última pesquisa Ibrape, realizada entr 26 e 30 de julho, o senador aparece com 18% no resultado geral (1o e 2o votos). João Caldas vem logo a seguir, no limite da margem de erro (3% para mais e para menos).

No segundo voto, por exemplo, Caldas aparece com 6% tecnicamente empatado com Biu, que tem 8%. No primeiro voto, Biu tem 10% e Caldas 6% – também no limite da margem de erro.

Se a avaliação que Caldas anda espalhando entre seus amigos for real, realmente é de causar preocupação. O pré-candidato do PSB diz que se tem bom desempenho agora – sem botar a cara na rua, enquanto seus adversários estariam em “campanha” há mais de dois anos – passaria a ter chances reais de vitória com o início do processo eleitoral.

Pelo sim, pelo não, melhor Biu e os outros postulantes ao Senado em 2018 passaram a olhar com atenção a movimentação do ‘grito do campo’.

Veja as tabelas da pesquisa:

COMENTÁRIOS 0

Em 3 anos, Cícero Almeida troca 3 vezes de partido; Carimbão pode seguir mesma trilha
   12 de agosto de 2017   │     23:58  │  0

Qual é mesmo o partido do deputado federal Cícero Almeida? Quem lembra das duas últimas campanhas (2014 e 2016) tem tudo para errar.

O ex-prefeito de Maceió é, na atual safra, o campeão do troca-troca de legendas – ao menos em Alagoas.

Cícero Almeida anunciou, esta semana, a sua terceira troca de partido em menos de três anos de mandato.

Vamos lembrar? Eleito pelo PRTB em 2014, ele se filiou ao PSD em 2015 e depois ao PMDB, em 2016. Agora, Almeida assinou a ficha do Podemos (ex-PTN).

A mudança de legenda não é novidade na vida do político. Desde que começou a carreira, como vereador, em ele já trocou de partido pelo menos dez vezes. Vamos relembrar o que se conhece: PSL (2000 – 2001); PDT (2002 – 2005); PTB (2005); PP (2006 – 2012); PEN (2012); PSD (2012); PRTB (2012 – 2015); PSD (2015 – 2016); PMDB (2016 – 2017) e Podemos (2017).

Estratégia

O Podemos (ex-PTN), nova casa de Almeida, faz parte de estratégia que poderá levá-lo à reeleição (hipótese que ele não descarta) ou a disputar uma vaga na Assembleia Legislativa. Numa legenda menor, onde terá mais influência, Cícero pode decidir com quem vai coligar. Ele não teria essa mesma flexibilidade num partido maior, como o PMDB.

Além de assumir a presidência do Diretório Municipal de Maceió, com forte ascendência sobre a direção estadual, Almeida também ganhou um posto Diretório Nacional.

A sua filiação, na quarta-feira, 9, em Brasília foi abonada pela presidente nacional do partido, deputada federal Renata Abreu (Podemos-SP).

Fidelidade em 2018

Almeida troca de partido, mas não de grupo. Ele continua repetindo, mesmo q não lhe perguntem, que tem um compromisso com Renan Calheiros para 2018. Cícero, mesmo ainda não tendo assumido ou indicado nomes para alguma secretaria do governo, também mantém o compromisso com a reeleição de Renan Filho.

Carimbão pode seguir “exemplo”

Givaldo Carimbão pode ser o próximo a trocar de legenda. Embora num ritmo bem menor que Almeida, o deputado federal poderá realizar a segunda troca de legenda em três anos. Ele foi eleito pelo PROS, migrou para o PHS e agora, dizem nos bastidores, pode mudar para um partido maior.

Carimbão avisa, no entanto, que não decide nada antes de outubro chegar. “Só vou decidir minha vida depois que for votada a reforma política, o que deve ocorrer até o final de setembro. Até lá, tudo é especulação, até porque não adianta decidir nada antes de saber como será a eleição do próximo ano, se no voto direto (distritão) ou na base das coligações, como é hoje”, aponta.

COMENTÁRIOS 0