Indústria pode fazer demissão em massa se não voltar a funcionar em AL
   26 de março de 2020   │     23:38  │  2

Menos de uma semana depois do Decreto nº. 69.501, que proibiu o funcionamento de empresas em Alagoas – salvo as que trabalham com itens considerados essenciais, a exemplo de alimentos e remédios – as notícias sobre demissões começam a circular “com força” por todo o Estado.

A indústria de transformação de Alagoas corre risco de ‘quebrar’ se continuar impedida de funcionar por mais tempo, em função do Decreto de Emergência, que só liberou o funcionamento de serviços essenciais durante a pandemia do novo coronavírus.

O alerta é do presidente da Federação das Indústrias de Alagoas (FIEA). José Carlos Lyra de Andrade diz que existe risco de demissão em massa no setor, se as empresas não forem autorizadas a voltar a funcionar no Estado.

No Estado, o setor é responsável pela geração de mais de 70 mil empregos diretos – quase 20% da força de trabalho do Estado. Já a indústria da construção civil responde por cer de outros 20 mil empregos em Alagoas.

O presidente da Fiea, diz que reconhece a importância do isolamento social imposto pelo Decreto nº. 69.501, do governo estadual, que estabelece medidas para o enfrentamento da emergência de saúde pública provocada pelo novo coronavírus.

José Carlos Lyra, adverte, no entanto, “que o excessivo rigor acabe provocando danos sociais de efeito incalculável”. Lyra teme que a inatividade do setor produtivo tenha como maior consequência um abalo severo nas finanças das empresas, obrigando-as a adotar medidas drásticas de contenção de despesas após o longo período de máquinas paradas. “Não podemos fechar tudo. Há que se permitir o funcionamento das indústrias, assegurando que seus trabalhadores estejam protegidos”, defendeu.

Sem a retomada da produção, “o remédio será pior que a doença”, adverte o presidente da Fiea, acrescentando que “que é preciso combater o vírus, sem arruinar a economia e, consequentemente, o país.”

“Temos que pensar agora como ficaremos quando tudo isso passar. Quem vai pagar a conta do desemprego provocado pelo fechamento de empresas? Ninguém pode ignorar que vai sofrer, como sempre, quem ficará sem trabalho!”, afirma Lyra, ressaltando sua preocupação com medidas extremadas no combate ao coronavírus.

Em Alagoas, o possível aumento das taxas de desemprego, causado pela suspensão da atividade econômica, “poderá resultar no aumento dos índices de violência, no agravamento da pobreza”, acrescenta.

O que temos que pensar é que as empresas não estão produzindo. Se não produzem não têm receita, e assim não têm como pagar seu pessoal. Não é o que queremos! Portanto, apelamos para que as ações de enfrentamento ao coronavírus não impliquem em prejuízos e riscos à indústria!”, declarou José Carlos Lyra.

Saiba mais:

Temendo desemprego em massa, Lyra pede que indústrias possam funcionar

 

COMENTÁRIOS 2

Ex-prefeito de Maceió se desfilia do PDT: “resolvi seguir meus sonhos”
   25 de março de 2020   │     20:33  │  1

O PDT parece ter se tornado pequeno para dois engenheiros – dois ex-prefeitos de Maceió – que querem voltar a comandar a prefeitura da capital.

Com vídeos e mensagens do projeto que batizou de “Transformar Maceió”, o engenheiro Corintho Onélio Campelo da Paz tem atuado em reuniões e nas redes sociais. E foi com um vídeo que ele anunciou a decisão de se desfiliar do PDT, nessa terça-feira, 24, dia em quem completou 36 anos militância no partido.

No vídeo postado nas redes sociais, nesta terça-feira, Corinto Campelo explica sua saída do partido: “Hoje completo 36 anos de militância no PDT. Propus ao partido a construção de um projeto de moralidade nas práticas politicas e administrativas, reclamadas pela sociedade. Não encontrei receptividade. Não tive apoio.”, aponta Campelo.

Corintho continua: “Dedico-me há mais de um ano, com um grupo de ilustres alagoanos na construção do projeto Trasnformar Maceió. Pleitei do PDT a legenda para defender este projeto.”

A legenda me foi negada. O que está me sendo imposto. Desistir ou seguir com meus sonhos e ideais ao lado da sociedade? Eu resolvi seguir e por isso deixo o PDT”.

A desfiliação aponta para a manutenção da pré-candidatura de Corinhto à prefeitura de Maceió. E sinaliza que outro ex-prefeito da capital, o também engenheiro Ronaldo Lessa, será o candidato do partido para a eleição de prefeito de Maceió este ano.

Corinhto ainda não anunciou filiação a outro partido, mas se especula que ele pode se filiar ao PMN.

Corintho Campelo: Reprodução Instagram

Registro

Corintho Campelo foi prefeito de Maceió entre 1982 e 1983. Ronaldo Lessa foi prefeito entre 1993 e 1996.

COMENTÁRIOS 1

Arsal autoriza transporte intermunicipal em ‘casos essenciais’ e mantém atendimento on line
     │     18:14  │  0

A Agência Reguladora de Serviços Públicos de Alagoas (Arsal) realiza, desde segunda-feira, 23, fiscalização nas principais vias de acesso a Maceió e Arapiraca para coibir descumprimento do Decreto Estadual nº 69.541, publicado na última sexta-feira (20).

O objetivo é coibir a o transporte rodoviário intermunicipal de passageiros, regular ou complementar, e serviços de receptivo suspensos pelo Decreto de Situação de Emergência.

A fiscalização conta com o apoio de equipes do BPTran, BPRv e SMTT. Entre as irregularidades, , foram apreendidos vários táxis que tentavam fazer o transporte irregular de passageiros para Maceió.

O presidente da Arsal, Ronaldo Medeiros, explica que a determinação em caráter excepcional vale por dez dias e pode ser prorrogada ao final desse período e explica que o transporte intermunicipal está sendo permitido em casos especiais.

“Nós estamos liberando o transporte de pessoas que precisam trabalhar. Já autorizamos o transporte de vans para o polo de Maceió para Marechal Deodoro ou de pessoas vindas do interior que vão trabalhar em farmácias, supermercados ou hospitais”, aponta o presidente da Arsal.

Segundo Medeiros, existem muitos médicos e enfermeiros que moram em cidades próximas a Maceió e precisam se deslocar até a capital para trabalhar: “são casos excepcionais. A gente pede que essas pessoas se identifiquem e o acesso é liberado. Além disso, algumas empresas tem entrado em contato com a Arsal para cadastrar vans ou pessoas que precisam fazer o deslocamento entre municípios. A maioria dos casos se concentra em Maceió e Arapiraca”, pondera.

Atendimento on line

Medeiros explica que o atendimento da Arsal será feito, durante o período do decreto, de forma on line. “Agora qualquer pessoa abrir processo por meio do WhatsApp. Todo atendimento está sendo realizado online. Estamos fazendo de tudo para que as pessoas fiquem em casa”, aponta.

“É simples, qualquer pessoa pode abrir todo tipo de processo a exemplo de: alteração de cadastro, transferência de linha e renovação pessoa física fretamento, entre tantos outros”, afirma, acrescentando que “se faz necessário enviar foto do requerimento assinado (disponível no site da Arsal), além de foto da documentação solicitada e do comprovante de pagamento”.

Serviço

Às fiscalizações das áreas reguladas pela agência seguem normalmente, mas o atendimento presencial está suspenso em função das medidas contra o novo coronavírus

Os meios para contato com a Agência são:

Site: www.arsal.al.gov.br/

Ouvidoria: 0800 284 0429 e WhatsApp (82) 98833-9430 para denúncias, críticas e elogios;

Arsal Online: (ligação e WhatsApp): (82) 98882-9707 e 988846921 para solicitação de boletos, guia de pagamentos, taxa e acompanhamento de processos;

Transporte: (ligação e WhatsApp): (82) 98833-9109;

Presidência: (82) 3315-2500.

COMENTÁRIOS 0

Primeira pesquisa registrada de AL mostra preferência do eleitor em Arapiraca
   24 de março de 2020   │     16:59  │  3

A primeira pesquisa eleitoral registrada das eleições de 2020 em Alagoas foi divulgada nesta terça-feira,24.

A Global 3 Soluções e Pesquisas fez um levantamento sobre o atual cenário político para as eleições em Arapiraca, com dados registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE Nº 4464/2020).

Na pesquisa, divulgada pelo Portal 7segundos, foram divulgados seis cenários diferentes para o cargo de prefeito de Arapiraca.

Espontânea

Na questão espontânea, o eleitor revelou o nome prefere para de Arapiraca. Dos entrevistados, 39,51% disseram que não sabem em quem votar ou preferiram não opinar. Já 28,43 % disseram votar em Ricardo Nezinho; 16,72% em Luciano Barbosa; 6,18% em Tarcizo Freire e o atual prefeito Rogério ficou com 5,22%. Na sequência, Gilvânia Barros 0,96%, Célia Rocha 0,85%, Hector da OAB 0,85%, Cícero Valentim 0,32%, Cláudio Canuto 0,32%, Severino Pessoa 0,21%, Breno Albuquerque, JFB, Fabiana Pessoa e Thiago ML tiveram, cada um, 0,11%.

Estimulada

No primeiro cenário estimulado, os resultados foram os seguintes: Ricardo Nezinho 47,60%, Tarciso Freire 14,06%, Rogério Teófilo 6,39%, Hector da OAB 1,38%,Cicero Valentin 0,85%, Cláudio Canuto 0,75% 15,12% dos entrevistados disseram votar branco ou nulo e 13,84% não sabem ou não opinaram.

Num segundo cenário, com o nome de Luciano Barbosa sem o de Ricardo Nezinho, Luciano aparece com 36,95%, Tarciso Freire 20,02%, Rogério Teófilo 6,92%, Cícero Valentim 2,02%, Hector da OAB 1,49%.e Claudio Canuto 0,75%. 17,04% optaram pela opção branco ou nulo e 14,80% disseram que não sabem ou preferiram não opinar.

Os demais cenários testam diferentes possibilidades com ou sem Rogério Teófilo

Cenário 3: Luciano Barbosa teria 41,32%, Rogério Teófilo com 7,56%; Gilvânia Barros 7,14%, Hector da OAB 1,49%, Cláudio Canuto 1,17%, Brancos e nulos 22,04%, não opinaram ou não sabem 19,28%.

Cenário 4: Luciano Barbosa 41,96%; Gilvânia Barros 7,99%, Hector da OAB com 1,49%, Claudio Canuto 1,38%. Brancos e nulos 25,13% e não sabem ou não opinaram 22,04%.

Cenário 5: Luciano Barbosa 44,94%; Rogério Teófilo 5,54%, Hector da OAB fica com 1,92%. Branco/nulo 25,45% e 22,15% não sabem ou não opinaram.

Cenário 6: Luciano Barbosa 43,56%. Gilvânia Barros 7,35%; Hector da OAB 1,70%; brancos e nulos 25,35%, e 22,04% preferiram não opinar ou disseram não saber em quem votar.

A pesquisa

A pesquisa com 939 eleitores, realizada entre os dias 18 e 19 de março, para o cargo de prefeito do município, foi divulgada pelo portal 7segundo em 45 bairros de Arapiraca. Segundo a Global 3 Soluções e Pesquisas, o levantamento tem nível de confiança de 95% e uma margem de erro de 3%, para mais ou para menos.

reprodução

reprodução

COMENTÁRIOS 3

Vereadores de Maceió devem se reagrupar em 7 partidos
   23 de março de 2020   │     23:01  │  3

Com o prazo das filiações partidárias mantido para 4 de abril – apesar da crescente pressão para o adiamento das eleições municipais deste ano – os vereadores atualmente com mandato em Maceió devem se reagrupar em 7 partidos, dependendo das negociações.

As articulações, agora, seguem à distância – com muito pouco ou nenhum contato presencial.

De acordo com as últimas informações de bastidores, os parlamentares municipais devem se dividir entre DEM, MDB, Podemos, PP, PSB, PSD e PV.

Pelo que ouvi, de diferentes fontes, se o prazo terminasse agora a situação partidária na Câmara de Vereadores de Maceió ficariam assim:

DEM – Aparecida de Luiz Pedro permaneceria no partido, que receberia como novo filiado Samyr Malta

MDB – Antônio Holanda, Galba Novais e Ronaldo Luz, permaneceriam no partido, que receberia como novos filiados Ana Hora, Chico Filho, Ib Breda e Lobão.

Podemos – Luciano Marinho pode permanecer no partido, que receberia como novos filiados Beto da Farmácia, Eduardo Canuto,  Kelmann Vieira e Simone Andrade .

PP – Davi Davino e Fátima Santiago permaneceriam no partido

PSB – Recebeu a filiação de Chico Salles

PSD – Receberia filiação de Cleber Costa e Zé Márcio.

PV – Mauro Guedes permanece no partido.

Sirderlane Mendonça estaria entre PSD e PSB.

As informações, repito, são de bastidores. E tudo pode mudar. As conversas continuam. E, me disse um conhecido articulador político, “poderemos ter muitas surpresas” até 4 de abril. É esperar e conferir.

COMENTÁRIOS 3