Category Archives: Agronegócios

Seagri quer fazer “maior distribuição de sementes da história” este ano
   8 de fevereiro de 2022   │     19:31  │  0

O programa de sementrs, que ganhou força no governo de Téo Vilela (2006/2014) passou por mudanças e foi sendo reduzido na atual gestão, até ser paralisado em 2019, quando o secretário de Agricultura era Ronaldo Lessa. Esse inclusive teria sido um dos motivos para o rompimento do ex-governador e atual vice-prefeito de Maceió com o governador Renan Filho.

Em 2021, após a nomeação de Maykon Beltrão, a Secretaria de Agricultura do Estado conseguiu retomar a distribuição de sementes para pequenos produtores, após dois anos de suspensão do programa. No ano passado, foram distribuídas cerca de mil toneladas a um custo de aproximadamente R$ 13 milhões.

Para esse ano, o secretário Maykon Beltrão já assegurou, junto ao governo, os recursos para o programa. Se tudo sair como esperado, serão distribuídas até 1,5 mil toneladas de sementes com um investimento de R$ 20 milhões, que se confirmado será a “maior distribuição de sementes da história” de Alagoas, com crescimento de mais de 50% em relação ao ano anterior.

Os recursos, avisa Maykon, estão assegurados. “No ano passado, o programa foi retomado faltando pouco tempo para início do plantio. Por conta disso, foram utilizados R$ 13 milhões de um total de R$ 15 milhões que foram disponibilizados pelo governador Renan Filho. Para este ano, temos disponibilizados R$ 20 milhões. Dependendo da demanda, poderemos usar todo o recurso, atendendo mais de 70 mil famílias”, aponta Maykon,

A demanda, adianta o secretário, dependerá da iniciativa dos agricultores, seja de forma individual ou coletiva, através de associações e cooperativas. “A Seagri já publicou o edital e a inscrições estão abertas até o próximo dia 17. Os produtores deve acessar a página .da secretaria (http://www.agricultura.al.gov.br/planta-alagoas) ou procurar sua cooperativa ou associação”, aponta Maykon.

Maykon Beltrão anuncia ampliação do Planta Alagoas este ano

Versão oficial

Veja texto da assessorias

PLANTA ALAGOAS 2022: SEAGRI-AL ABRE INSCRIÇÕES PARA O PROGRAMA

Neste ano, serão distribuídas 1,500 toneladas de sementes que deve beneficiar 70 mil alagoanos

O Governo do Estado de Alagoas, através da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri/AL), abriu inscrições para o Planta Alagoas 2022.

A primeira edição foi lançada, oficialmente, em abril de 2021, e beneficiou cerca de 50 mil famílias que realizaram o cadastro para receber sementes de feijão, milho, sorgo e arroz distribuídas pelos oito Centros de Distribuição (CDs) nas regiões do estado.

Para 2022, o Governo do Estado aporta R$ 20 milhões com o objetivo de atender 70 mil famílias em todo estado. Através dos recursos aprovados do Fundo Estadual de Combate e Erradicação à Pobreza (Fecoep), serão distribuídas 1.500 toneladas de sementes para os 102 municípios alagoanos.

É importante ressaltar que, neste ano de 2022, o Planta Alagoas também vai distribuir sementes crioulas, atendendo uma demanda das comunidades, dos Movimentos e das Cooperativas que pediram ao Estado a inclusão dos grãos para os agricultores alagoanos.

Vale lembrar, todavia, que o prazo para quem for se inscrever encerra no dia 17/02/2022, às 23h:59, e a Portaria que regulamenta essas inscrições e os documentos necessários para o cadastro estão no link: http://www.agricultura.al.gov.br/planta-alagoas.

Grupo JL: massa falida vai pagar mais de 3,4 mil credores trabalhistas
   18 de janeiro de 2022   │     9:37  │  0

Depois de 14 anos, a falência do grupo João Lyra começa a tomar novo rumo.

A empresa, que era uma das maiores do Brasil no setor sucroenergético, foi à falência após dívida bilionária.

A atuação política do seu ex-proprietário, João Lira, foi apontada como uma das causas dos problemas que levaram o grupo a enfrentar dificuldades financeiras.

Independente das ações que levaram a falência das empresas – só em Alagoas eram três usinas de cana-de-açúcar – os credores devem começar a receber, em breve as verbas, a que tem direito.

A nova administração judicial da massa falida da Laginha Agroindustrial renovou o compromisso para o pagamento de mais de 3.400 processos trabalhistas de até 150 salários mínimos.

Já foi remetida para a Coordenadoria de Execuções a relação dos credores e respectivo valor a receber.

Em texto, a assessoria da administradora da massa falida da mais detalhes sobre o pagamento dos credores trabalhistas.

Veja o texto:

“A falência do grupo Laginha, em Alagoas, gerou o segundo maior processo falimentar do país, com o impressionante volume de 111 mil páginas. Também ostenta o título de maior processo trabalhista ativo do Brasil em número de credores (3.402), e representa quase 10% do acervo de processos de execução existentes hoje no Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região.

O caso se arrasta desde 2008, com a recuperação judicial do grupo (em 2014 foi decretada a falência). Uma nova administração da massa falida assumiu em agosto passado e tem conseguido trabalhar de forma producente com a justiça alagoana. Como resultado, nesta quinta (13) foi renovado um acordo para o pagamento de todos os 3.402 credores trabalhistas em Alagoas que têm a receber valores de até 150 salários-mínimos.

O acordo de cooperação foi firmado entre o Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região (TRT/AL) e a 1ª Vara de Coruripe, responsável pelo processo de falência da Laginha Agroindustrial no Judiciário de Alagoas.

O administrador judicial da massa falida, advogado Igor Telino, explica que todas as reclamações trabalhistas em tramitação receberão créditos extraconcursais até o limite de 150 salários-mínimos, definidos na Lei de Falências, como créditos preferenciais. “Mesmo quem tem a receber mais de 150 salários-mínimos terá o valor creditado até o limite, recebendo a diferença em um segundo momento”.

Já foi remetida para a Coordenadoria de Execuções a relação dos credores e respectivo valor a receber. Como há processos trabalhistas espalhados por 20 Varas do Trabalho, caberá à Coordenadoria enviar os recursos para que cada uma das varas realize os pagamentos.”

Palmeirense “assume” comando da Secretaria de Agricultura do Estado
   10 de janeiro de 2022   │     20:47  │  0

Até a próxima semana, Rodrigo Gaia estará no comando da Secretaria de Agricultura do Estado. Ele assumiu a Pasta interinamente com afastamento do titular, Maykon Beltrão – mais uma vítima da Covid-19 entre políticos alagoanos.

A interinidade foi um reconhecimento a atuação de Rodrigo, que é secretário Executivo de Gestão Interna da Seagri desde o início de 2020.

Rodrigo, que é filho do ex-deputado estadual Edval Gaia e atua na política de Palmeira dos Índios e agreste de Alagoas, tem se consolidado na Seagri-AL pela capacidade de articulação. Ao lado de Maykon, foi um dos responsáveis, por exemplo, pela continuidade e fortalecimento do programa do leite e diversos outros programas da Pasta, a exemplo do Planta Alagoas.

Rodrigo Gaia assume interinamente a Secretaria de Agricultura de Alagoas

Versão oficial

Veja texto da assessoria.

Secretário Executivo de Gestão Interna assume comando da Seagri-AL pelos próximos dias

Rodrigo Gaia fica responsável pela pasta, na ausência do secretário Maykon Beltrão, que está afastado após ter testado positivo para covid-19

Na última quarta-feira (05), o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri-AL), Maykon Beltrão, comunicou, através das redes sociais, que testou positivo para Covid-19.

Após o afastamento do titular da pasta, o secretário Executivo de Gestão Interna, Rodrigo Gaia, será o encarregado de comandar a Seagri-AL pelos próximos dias. Gaia já realiza uma boa interlocução com os prefeitos, secretários municipais e Cooperativas na pasta.

Com isso, os compromissos que Maykon Beltrão teria agendado para o começo do mês serão remarcados e, após sua total recuperação, seguirá realizando os trabalhos neste ano de 2022.

“Estou bem! Porém, todos os compromissos/agenda marcadas serão cancelados e reagendados após minha recuperação total. Apesar de assintomático, já permaneço em isolamento social, evitando o contato com outras pessoas, e me recuperando para – em breve – retornar com saúde reestabelecida totalmente”, explicou Maykon Beltrão

Secretário interino

Rodrigo Soares Gaia é bacharel em direito e tem um currículo extenso, no âmbito administrativo municipal e estadual. Entre 2011 e 2013, Gaia atuou como diretor presidente do Instituto de Desenvolvimento Rural e Abastecimento de Alagoas (Ideral). Desde março de 2020, faz parte da Secretaria Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, onde contribui com o crescimento do setor agropecuário em Alagoas.

PIB de AL cresce acima da média nacional: “é preciso estratégias”, diz senador
   30 de dezembro de 2021   │     21:14  │  0

O Governo de Alagoas divulgou, nesta quinta-feira (30), a estimativa anual até o terceiro trimestre de 2021 do Produto Interno Bruto (PIB) do estado. A apresentação ocorreu na sede da Seplag, que é responsável pelo levantamento junto ao IBGE.

De acordo com os dados apresentados, estima-se um crescimento de 6,50%, em relação ao mesmo período de 2020. O avanço é justificado pelo resultado positivo em todos os setores: Agropecuária (9,82%), Indústria (7,89%) e Serviços (5,39%).

De acordo com os dados, o PIB alagoano superou a média nacional. Em 2020 o de Alagoas caiu 0,3%, enquanto o do país recuou 3,9%. Até o terceiro trimestre, o PIB estadual cresceu 6,5% ate 5,7% da média nacional.

Nas redes sociais, o senador Renan Calheiros (MDB) comentou o resultado. “A gestão é determinante para a economia. É preciso estratégia, equipe e decisões acertadas”, avalia.

Para o senador, a alta do PIB reflete os investimentos realizados tanto setor público quanto privado que fortalecem a economia alagoana.

Peso do agro

Segundo dados da Seplag, o agronegócio foi o setor que teve melhor desempenho este ano no PIB de Alagoas.

No acumulado do ano de 2021, em relação ao mesmo período do ano anterior, a agropecuária variou positivamente em 9,82%, tendo em vista crescimento nas estimativas de produção das lavouras: cana-de-açúcar (18,04%), laranja (9,61%), banana (24,74%), abacaxi (4,85%), coco-da-baía (0,76%), amendoim (0,79%), feijão (em grão) (75,64%), milho (34,62%), tomate (10,71%), arroz (47,03%) e batata doce (2,31%). Os demais produtos: fumo (em folha) (-4,26%) e mandioca (-1,86%) tiveram variação negativa.

Já a indústria alagoana expandiu 7,89%, acarretado, em especial, pelo comportamento observado em seus subsetores: indústria de transformação (28%), construção (9,74%), eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação (17,13%). Em contrapartida, o subsetor indústria extrativa apresentou queda de 26,36%, motivada pela redução na produção de petróleo e gás natural.

O setor de Serviços (5,39%) teve seu crescimento influenciado pelos subsetores: administração, educação e saúde pública, defesa e seguridade social (6,92%); comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (3,99%); atividades profissionais, científicas e técnicas, administrativas e serviços complementares (4,52%); alojamento e alimentação (6,34%); e transporte, armazenagem e correio (13,78).

Saiba mais: PIB 2021: Alagoas apresenta estimativa de crescimento de 6,50%, aponta Seplag

 

Agro ajuda a elevar PIB de Alagoas, afirma secretário
     │     8:25  │  0

O Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio, apresenta, nesta quinta-feira (30), às 10h, em coletiva de imprensa, a estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) do estado para 2021.

A Pasta também divulgará a reestimativa do PIB 2020. Os dados são referentes ao resultado anual para 2021 e serão repassados na sede da Seplag.

O secretário Fabrício Marques estará presente, junto ao corpo técnico da Seplag, para explicar as análises socioeconômicas e esclarecer nuances encontradas no indicador. A Seplag ressalta que a coletiva seguirá todos os protocolos sanitários estabelecidos pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e que é obrigatório o uso de máscara.

De acordo com Marques, o IBGE fez revisões na base de dados, em função da pandemia.

“A queda de 2020, era menor que o Brasil. Agora vai ficar quase zerada”, aponta, acrescentando que em relação ao PIB deste ano serão divulgados dados até o terceiro trimestre.

“Mas é tendência que não muda a tendência para o ano. Nosso PIB até o terceiro trimestre está acima do PIB nacional”, emenda.

De acordo com a Seplag, após a reestimativa, a oscilação revisada do PIB de 2020 (que teve queda de cerca de -1,5%) deve ficar abaixo de -0,5%. Os dados serão apresentados na coletiva.

O crescimento do PIB em Alagoas, acima da média nacional, vem sendo puxado, adianta Fabrício, pela agricultura – que está ganhando mais peso na nossa economia.

“Só isso já ajuda a diminuir a queda que estava calculada para 2020”, aponta. Ele atribui o crescimento maior que o nacional a três fatores: “Um é o fator agricultura. A gente cresce mais. Outro setor que puxa o crescimento é o da construção e também, este ano, a retomada da operação da Braskem”, completa.