Category Archives: Geral

CPLA: recursos federais para o Programa do Leite estão garantidos
   11 de dezembro de 2019   │     20:20  │  0

A Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA) vem ganhando importantes aliados na luta pela continuidade do Programa do Leite no Estado. Na última segunda-feira (09), durante a concessão da outorga da Comenda Silvânio Barbosa, que homenageou personalidades do cenário político e institucional que contribuíram no fomento da agricultura familiar em Alagoas, o deputado federal Isnaldo Bulhões assegurou a designação de recursos para a execução das próximas parcelas do programa.

“Mesmo com toda a dificuldade do início do ano, encerraremos 2019 com chave de ouro. Conseguimos apresentar a importância do Programa do Leite para o governo do estado, firmando o compromisso de canalizar os fundos necessários para o prosseguimento do projeto. Com isso, vamos contar com 100% dos recursos federais para os próximos passos dessa iniciativa que está mudando a realidade da agricultura familiar em Alagoas”, afirmou Bulhões.

A permanência do Programa do Leite atenderá, só em Alagoas, mais de 80 mil pessoas, além de fomentar a economia e gerar empregos no campo. Através dele, também é feito o combate à desnutrição de famílias carentes, sendo um dos mais importantes e organizados da região Nordeste.

Na solenidade, o deputado também destacou a sua relação com a CPLA, evidenciando a preocupação em enxergar o setor como uma unidade que precisa dos investimentos certos para o seu desenvolvimento. “Desde o meu primeiro contato com a cooperativa, expressei a necessidade da união de forças entre as cooperativas e associações leiteiras. O setor precisa ser forte por completo, não adianta a buscar por incentivos para o pequeno produtor e esquecer do médio e do grande, que também fazem parte desse cenário”, ressaltou Isnaldo Bulhões.

(com assessoria)

Isnaldo Bulhões recebe comenda entregue pelo presidente da CPLA, Aldemar Monteiro

Inadimplentes terão até 100% de desconto de juros e multas na Arsal
   4 de dezembro de 2019   │     21:38  │  0

O presidente da Arsal, Ronaldo Medeiros, tem dado ares de modernidade à Agência, que passou a inovar com o atendimento on line para os permissionários que atuam no chamado sistema de transporte complementar.

Alguns serviços, inclusive solicitação de documentos, passaram a ser realizados através de whatsapp. Medeiros promete, ainda, lançar nas próximas semanas aplicativos que prometem facilitar o acesso de permissionários e usuários de transportes e outros serviços públicos – incluindo água, energia e gás – à Arsal.

Nesta quarta-feira, a agência surpreendeu ao anunciar uma campanha de recuperação de crédito que prevê descontos de juros e multas de até 100% para os inadimplentes. Nesse caso, a negociação precisa ser presencial, na sede da Arsal.

A campanha da Arsal vai até o próximo dia 20, como informa texto da assessoria de comunicação da Agência. Confira:

Arsal realiza campanha de recuperação de crédito junto a transportadores

Entre os dias 04 e 20 de dezembro deste ano, os permissionários que compõem o Sistema de Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passageiros de Alagoas, nas categorias Complementar – vans e micro-ônibus -, e Convencional, – ônibus -, os quais encontram-se inadimplentes, terão a oportunidade de negociar ou quitar seus débitos junto à Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado (Arsal), por meio da campanha de recuperação de crédito desenvolvida pelo órgão.

A Resolução que institui a campanha, batizada de “Arsal Legal II”, foi publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira, 04, e oferecerá aos permissionários a oportunidade em aderir a descontos progressivos de 100% de juros e multas por inadimplemento para pagamento a vista e descontos de 40% a 70% de juros e multas decorrentes de inadimplemento nos casos de parcelamento, a depender do número de parcelas.

As negociações devem ser feitas diretamente na sede da Agência, localizada na Rua Cincinato Pinto, nº 226, Edifício Ipaseal, Centro de Maceió, no setor de Recuperação de Crédito (térreo). Os detalhes acerca do prazo de pagamento, descontos e valor mínimo para parcelamento podem ser conferidos na Resolução também disponível no endereço eletrônico: www.arsal.al.gov.br.

Para mais informações, a Arsal disponibiliza um número de whatsapp: (82) 98883-9565.

Água? Luz? Deputado quer proibir cortes por atraso menor que 30 dias
     │     15:18  │  0

Empresas que prestam serviços públicos essenciais tem sido cada vez mais implacáveis com o usuário em Alagoas. A maiores e mais recentes queixas explodem nas redes sociais especialmente contra o ‘alicate’ afiado da Equatorial Energia.

Contas com atraso de semanas e, até mesmo, dias tem motivado cortes de água, internet e gás canalizado e principalmente de energia, segundo o deputado estadual Sílvio Camelo. “Tenho recebido muitas queixas contra a Equatorial”, aponta.

De acordo com o deputado, na situação de crise que vive o país e o Estado, algumas pessoas atrasam o pagamento por dificuldades financeiras reais.

“O consumidor tem sido penalizado com a pressa sem justificativa das empresas em fazer o corte. Em alguns casos, os prejuízos são incalculáveis. A religação da água de a energia nem sempre acontece com a mesma agilidade e ainda pode ter custos adicionais para o usuário”, aponta.

O deputado também reclama da falta de critérios no corte. “Algumas empresas só cortam depois de um mês, outras cortam com dias de atraso, provocando ainda mais confusão para o consumidor”, pondera.

Com o objetivo de evitar que os consumidores sejam alvo de ‘abuso’ das empresas fornecedoras de serviços, Camelo apresentou projeto de lei disciplinando o corte após 30 dias de atraso.

O Projeto de Lei Ordinária 243/2019 que “dispõe sobre a proibição que as empresas de concessão de serviços de água, luz, gás, telefonia fica e internet, façam corte do fornecimento residencial, comercial e industrial de seus serviços por falta de pagamento de contas com menos 30 (trinta) dias de atraso, da data do último vencimento, e dá outras providências.”

Preconceito? O que falta é acesso do brasileiro ao urologista, alerta deputado
   25 de novembro de 2019   │     22:51  │  0

As estatísticas não deixam dúvidas. O câncer de próstata é tão grave para o homem quanto o de mama é para a mulher. Ainda assim, o “novembro azul” está muito longe de ter o mesmo espaço na mídia ou na agenda das autoridades de saúde que o “outubro rosa”.

E sabe aquela história de preconceito? Um ou outro homem prefere evitar o exame de toque (ou pelo menos finge isso). O que acontece de fato é a falta de acesso a exames e, principalmente, ao urologista.

Alguns desses números e fatos ganharam maior visibilidade durante discurso do deputado estadual Davi Davino Filho (PP), na Assembleia Legislativa.

O deputado é autor de uma lei que prevê a criação da Semana Estadual da Saúde do Homem. A lei ainda não foi colocada em prática pelo Executivo.

“No Brasil, a cada sete minutos um brasileiro é diagnosticado com câncer de próstata e, nos próximos 40 minutos, um brasileiro vai morrer da enfermidade”, alertou o deputado em seu discurso.

“Estamos em pleno Novembro Azul, um mês dedicado à conscientização da saúde do homem. Até o momento, não tomamos conhecimento de nenhuma ação do Executivo para colocar em prática a Semana Estadual da Saúde do Homem”, emendou.

No seu discurso, Davi Filho destacou o trabalho realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), e a Sociedade Brasileira de Urologia, que criaram a partir de iniciativa do urologista alagoano Mário Ronalsa, o Programa Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem do Campo (PNAISHC).

Esse é um programa pioneiro, considerado único no mundo. Assegura a moradores de áreas rurais a oportunidade de fazer além do exame de sangue PSA, o exame do toque retal.

“Dos 1.466 homens assistidos pelo Programa Saúde do Homem do Campo entre 2015 e 2018, 93,4% nunca tinha se consultado e recebido orientações de um especialista da área de urologia. O levantamento identificou também que 100% dos homens aceitaram fazer o exame de PSA e que apenas dois pacientes, num universo de 1.466 homens, se negaram a fazer o toque retal. Ou seja, o homem aceita tratar de sua saúde, o que falta é a assistência urológica nas três esferas do governo.

Os dados apresentados pelo deputado bem que poderiam inspirar os governos (em todas as esfera) a levar esse programa para um número maior de pessoas. O exame PSA, pelo que conversei com o médico Mário Ronalsa, deve custar uns R$ 25. O custo para realizar o exame de toque, em “mutirões” como os que são organizados pelo Senar/ SBU custa ainda menos.

Davi Filho cobra ações do governo para a saúde do homem

Vale a pena ler

Recomendo a leitura de um texto sobre o programa do Senar/ SBU, produzido pelo suplemento Rural, da Gazeta de Alagoas: Rural – 03 (6)-páginas-3

Saúde do Homem previne o câncer de próstata no homem do campo

Veja aqui o PDF da reportagem: 

Saiba mais

Deputado cobra atuação do governo nos cuidados da saúde do homem

 

 

 

 

Valor de mercado da Braskem não chega a metade das ‘possíveis’ dívidas judiciais
   21 de novembro de 2019   │     19:53  │  0

O “desastre” provocado pela mineração de sal-gema em Maceió vem abalando não só a imagem, mas também – e mais profundamente – o caixa da Braskem.

O valor de mercado da empresa despencou este ano. Uma queda provocada pelas ações judiciais e pelo baixo desempenho do setor petroquímico – no Brasil e no mundo.

Na situação atual, o valor de mercado da empresa (preço calculado pelo valor de ações na bolsa) não chega a metade das possíveis perdas com ações judiciais, estimadas pela própria Braskem em mais de R$ 48 bilhões. Além disso, a empresa também deve mais de R$ 13 bilhões a bancos – o que pode dificultar o eventual pagamento com indenizações a população dos bairros atingidos pela mineração.

De acordo com reportagem do Estadão, o valor de mercado da Braskem caiu, este ano, de R$ 45 bilhões (fevereiro) para R$ 21,6 bilhões na semana passada.

Em paralelo, as contingências judiciais classificadas como possíveis pela Braskem correspondiam, no final de setembro ao dobro de seu valor de mercado atual.

Nas notas explicativas do balanço trimestral, divulgado na quinta-feira, 14, a Braskem alertou investidores que as perdas com ações judiciais podem chegar a R$ 48,74 bilhões. Hoje, o valor de mercado da empresa é de aproximadamente R$ 24 bilhões.

Não é só. A empresa também tem dívidas em dólar e reais, que segundo fontes ouvidas pelo “Valor Econômico”, tem deixado os bancos credores preocupados com o futuro da Odebrecht e suas parceiras.

Segundo reportagem do Estadão, “grandes instituições bancárias têm participações em ações da companhia desde julho de 2016, considerando também seus dividendos como garantia. No entanto, o preço em bolsa não cobre a dívida que possui, que está em quase R$ 13 bilhões. Os bancos são: Itaú Unibanco Bradesco Banco do Brasil Santander e BNDES”

Saiba mais:

Selecionei reportagens que pode ajudar a entender melhor a situação financeira da Braskem:

Possíveis perdas da Braskem com ações judiciais valem mais de duas vezes seu valor de mercado

Perdas possíveis da Braskem com processos judiciais triplicam

Braskem perde mais de 50% do valor de mercado em 6 meses